Ator de "Malhação", André Luiz de Miranda relata caso de racismo vivido por sua filha de 2 anos Instagram/Divulgação

André Luiz de Miranda

Foto: Instagram / Divulgação

Pelo perfil do Instagram, o ator de Malhação André Luiz de Miranda relatou um episódio de racismo sofrido por sua filha, Beatriz, de dois anos, no parquinho do prédio em que moram no Rio de Janeiro.

Miranda afirma no post que levou a menina para brincar no parquinho. Passado algum tempo, Beatriz viu uma menina de cerca de quatro anos perto dali e decidiu chamá-la para brincar. De acordo com o ator, a criança se recusou dizendo que não gosta de pessoas "dessa cor":

O ator diz ter ficado pasmo com a declaração: 

— Perguntei se era da cabeça dela ou se alguém já falou isso pra ela e ela me respondeu que era da cabeça dela. Nessa hora a minha perna ficou bamba, um aperto no coração e uma vontade de chorar ouvindo essas palavras saírem da boca de uma criança de quatro anos — escreveu. 

Confira o relato do ator:

Depois de muito tempo consegui chegar cedo do trabalho e resolvi descer e brincar com a minha filha (2 anos) no parquinho do prédio . Nós divertimos muito , ficamos horas brincando , até que em um momento ela me abandonou porque enxergou uma amiga , mais ou menos 4 anos acompanhada do irmão ( 14 ) . Logo notei uma coisa diferente no comportamento dessa criança . Sempre fugindo da minha filha , sem emitir um som sequer e minha filha querendo muito a atenção dessa amiga . O irmão desse menina foi jogar bola no campo ao lado e então éramos só nós 3 nesse parquinho . Minha filha o tempo todo querendo brincar e sempre rejeitada . Um dado momento uma 3ª criança apareceu e logo o comportamento da menina mudou . Abriu um sorrisão , correu pra abraçar, chamou pra brincar e minha filha ali isolada . Vendo a tristeza da minha filha , me abaixei e perguntei porque ela não queria brincar com a minha filha , eis que a criança de 4 ANOS respondeu : “ Pessoas do cabelo assim e com essa cor eu não gosto . Eu só brinco com pessoas brancas” . Perguntei se era da cabeça dela ou se alguém ja falou isso pra ela e ela me respondeu que era da cabeça dela . Nessa hora a minha perna ficou bamba , um aperto no coração e uma vontade de chorar ouvindo essas palavras sairem da boca de uma criança de 4 anos . O RACISMO é estrutural e reproduzido pelas crianças de forma assustadora . Mesmo não tendo consciência do conceito de raça , essa criança aprendeu alguns aspectos que estão na nossa sociedade . O cabelo , a cor da pele , são características determinantes da diferença racial e isso motiva essas ações . Mas eu não posso fraquejar , isso me deixou mais forte pra poder lutar pelos MEUS , lutar por ELA . #diainternacionaldamulhernegra

Uma publicação compartilhada por André Luiz Miranda (@deluizmiranda) em

Leia mais notícias no Diário Catarinense

 Veja também
 
 Comente essa história