Técnico do Avaí pede paciência ao torcedor diante do Dragão: "não vai ser fácil" Avaí/Divulgação

Técnico Claudinei Oliveira espera jogo complicado contra o Atlético-GO neste domingo

Foto: Avaí / Divulgação

O alerta foi dado durante a semana pelos jogadores e pelo técnico Claudinei Oliveira. O Avaí precisa ter atenção e foco na partida contra o Atlético-GO. No returno do Campeonato Brasileiro, o time goiano deixou de ser saco de pancadas e bateu até no líder Corinthians, em Itaquera. É verdade que o Dragão ainda segura a lanterna, mas o desempenho dentro de campo tem incomodado adversários. Para o treinador do Leão, sobram motivos para todo tipo de precaução no jogo das 16h de domingo, na Ressacada.  

— Se a gente pode pedir uma coisa para o torcedor, é ter paciência. Tivemos parâmetros no ano passado, como no jogo contra o Tupi, que estava embaixo. O torcedor aqui tem nos ajudado, entendido que será difícil para a equipe. E quando a gente pega um adversário menos qualificado, o torcedor acha que tem obrigação de golear. O Atlético-GO venceu o Corinthians, a Ponte Preta, eles acharam uma forma de jogar, têm o Walter, meias bons, laterais bons. Não podemos achar que vai ser fácil e pedimos ao torcedor mais paciência. Ganhando com um gol no primeiro minuto ou no minuto 90, são três pontos iguais — avisa Claudinei, que ressalta a necessidade de organização do time para não ceder contra-ataques e, dessa forma, ter mais chances de conseguir os três pontos. 

Claudinei completa 48 anos nesta sexta e quer novo "momento positivo para comemorar" no Avaí

Invicto no returno do Brasileirão, o Avaí tem que somar pontos para se distanciar um pouco mais da zona de rebaixamento. O time catarinense está na 15ª colocação com 30 pontos, apenas dois à frente de São Paulo - primeiro na degola. Para Claudinei, a equipe precisa manter a forma de atuar.   

— Você ter um ataque muito poderoso te garante vitórias em alguns jogos. Você com uma defesa bem organizada, a chance de vencer é maior. Se a gente mantiver um golzinho por jogo, vamos chegar, porque sofremos poucos gols. Tivemos dois jogos fora da curva, então essa consistência defensiva te dá confiança em vencer. Temos esses pontos todos por causa da organização e isso passa por todos os jogadores. Sem a bola, todo mundo se dedica. Essa é nossa característica, não podemos mudar agora porque é o Atlético-GO — resume.

Leia outras notícias sobre o Avaí
Acesse a tabela da
Série A do Brasileirão


 Veja também
 
 Comente essa história