DM da Chapecoense trabalha para liberar quatro titulares até o jogo contra o San Lorenzo LUIS ACOSTA/AFP

Foto: LUIS ACOSTA / AFP

O empate por 1 a 1 com o San Lorenzo, na Argentina, deu à Chapecoense uma pequena vantagem no jogo da volta da semifinal da Copa Sul-Americana. Um resultado sem gols classifica o Verdão. Por isso, ter o time completo contra os hermanos no dia 23 de novembro, na Arena Condá, às 21h45min, é de suma importância. O departamento médico do clube corre para entregar ao técnico Caio Júnior atletas importantes que estão em tratamento neste momento: Neto, Gil, Matheus Biteco e Gimenez. O lateral é o que mais preocupa o médico Carlos Henrique Mendonça.

— Todos estão bem encaminhados no tratamento. O Neto já está treinando. Ele teve só uma contratura. O que mais nos preocupa é o Gimenez porque a lesão dele é de grau 2, uma mais grave, e no músculo posterior, onde a recuperação é mais complicada — explicou Mendonça, por telefone.

Tranquilidade na Série A ajuda na preparação

Virtualmente garantida na Série A, por ter chegado a 46 pontos, o Verdão só pensa na Sul-Americana. Essa garantia na elite dá ao técnico Caio Júnior a opção, por exemplo, de poupar esses jogadores que voltarão do departamento médico.

— A decisão fica com a comissão técnica, mas esperamos entregar todos os atletas para a partida contra o São Paulo (no dia 20 de novembro) — completou Mendonça.

Dos atletas em recuperação, Gil é o que mais atuou na temporada. O volante disputou 52 partidas e tem sido um dos mais regulares do elenco, mantendo o nível de suas atuações. Gimenez é outro que atuou bastante, jogando 50 vezes em 2016.

Neto, que já está liberado, acabou de retornar de uma grave lesão nas costas. Ele ficou de fora das finais do Campeonato Catarinense por causa dela e teve que passar por uma operação. Desde que foi liberado para atuar, retomou a condição de titular e tem sido um dos principais jogadores do Verdão na campanha histórica da Copa Sul-Americana.

Foto: Cleberson Silva / Chapecoense,Divulgação

NETO, zagueiro.
LESÃO:
Contratura muscular no coxa direita.
SITUAÇÃO: No aquecimento para o jogo com o Figueirense, o zagueiro sentiu dores musculares e foi poupado. Ele já está recuperado e ontem participou do treino com os demais colegas.

Foto: Cleberson Silva / Chapecoense,Divulgação

GIL, volante.
LESÃO:
Ruptura incompleta (grau 1) do músculo posterior da coxa esquerda.
SITUAÇÃO: Dos lesionados, é o que está mais próximo do retorno. Já passou pelo tratamento regenerativo e agora trabalha com a fisioterapia. Há chances de ser liberado para a partida contra o Botafogo, na próxima quarta-feira, às 19h30min, no Estádio Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador (RJ).

Foto: Cleberson Silva / Chapecoense,Divulgação

MATHEUS BITECO, volante.
LESÃO:
Ruptura parcial (grau 2) do músculo adutor da coxa esquerda.
SITUAÇÃO: Biteco também está em tratamento com os fisioterapeutas do clube. Apesar de ter uma lesão um pouco mais grave, de grau 2, o atleta poderá ser liberado até a partida contra o São Paulo, no domingo (20).

Foto: Cleberson Silva / Chapecoense,Divulgação

GIMENEZ, lateral-direito.
LESÃO:
Ruptura parcial (grau 2) do músculo posterior da coxa direita.
SITUAÇÃO: Gimenez é o que tem a lesão mais complicada para curar, por ser no músculo posterior da coxa e ser de grau 2 – que é quando há de 5 a 50% das fibras lesadas. O departamento médico trabalha para libera-lo para o jogo com o San Lorenzo.  

Leia também:
Não chega, não: Lucas Gomes quer somar mais pontos com a Chape na Série A
Chapecoense confirma interesse do Palmeiras em Hyoran, mas nega acerto
Definidos os valores dos ingressos para Chapecoense x San Lorenzo
Acesse a tabela da Série A

 Veja também
 
 Comente essa história