Médicos dizem que Follmann está consciente e reagiu bem à amputação da perna Ricardo Duarte/Agencia RBS

Jackson Follmann teve  parte de sua perna direita amputada após o acidente

Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS

O goleiro Jackson Follman, um dos seis sobreviventes do acidente que vitimou a delegação da Chapecoense, foi desentubado, conversa e está acompanhado da família. De acordo com os médidos do Hospital San Vicente Fundación, em Rionegro, o jogador está consciente da amputação de parte de sua perna direita (abaixo do joelho) e reagiu bem à notícia da perda do membro e mostrou estar bem psicologicamente. 

— Está totalmente consciente, conversa longamente conosco, com a família, e sabe que teve a perna amputada — contou o médico Ferney Rodríguez em entrevista coletiva neste sábado. 

— Ficamos gratamente surpresos com a atitude dele (Follmann), Ele entende que perdeu a perna, mas não a vida. Está bastante otimista.

Leia mais:
As quatro famílias estão unidas, dizem parentes
Irmã de Alan Ruschel publica relatos do pai sobre recuperação do lateral
Vítimas de acidente com voo da Chapecoense começam a ser veladas no RS

Também permanecem em situação estável os outros três brasileiros que sobreviveram ao acidente aéreo. O lateral Alan Ruschel, que permanece sedado e foi desentubado ontem, "está em estado crítico, mas estável.

— Gostaria de contar a vocês que Alan está evoluindo bem, não mais dia a dia, e sim minuto a minuto (...) Estamos satisfeitos com a evolução dos quatro, que, graças a um verdadeiro milagre, conseguiram se salvar nessa tragédia — disse seu pai, Flavio Ruschel, em um pronunciamento.

O zagueiro Hélio Neto e o jornalista Rafael Henzel continuam sedados e em estado crítico. Sobre Rafael, "continuamos dependentes de sua evolução pulmonar", disse o especialista do hospital, onde, a pedido do governo brasileiro, estão internados os quatro sobreviventes do país.

— Cada vitória, cada conquista dos nossos parentes é um momento de euforia, de alegria — contou seu primo, Roger Valmorbida.

Além dos quatro brasileiros, em Rionegro permanece internada Ximena Suárez, comissária de bordo boliviana do avião acidentado. Ela ficará reclusa por cerca de 10 dias, informou na sexta-feira o governo da Bolívia.

O outro sobrevivente, o tripulante boliviano Erwin Tumiri, recebeu alta ontem e seguiu em um voo comercial para La Paz, onde passará por novas avaliações médicas.

— Não me esquecerei de nenhum de vocês — diz o técnico em um vídeo divulgado na véspera, sobre os socorristas que o resgataram.

*ZHESPORTES e AFP

 Veja também
 
 Comente essa história