Bruno Pacheco diz que vitória da Chape também serve de alívio para os familiares Sirli Freitas/Chapecoense

Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

Ao final da partida contra o Atlético-PR, na quinta-feira, com vitória de virada por 2 a 1, o lateral-esquerdo Bruno Pacheco jogou a camisa da Chapecoense para a torcida. Ele disse que se pudesse daria uma camisa para cada torcedor pelo apoio e energia que o time recebeu das arquibancadas na Arena Condá. Um dia depois do triunfo que livrou o Verdão da zona de rebaixamento, o jogador disse que o placar foi um alívio não só para os atletas, mas também para os familiares.

– Era uma situação complicada. Futebol não é só dentro de campo, não só nas quatro linhas. Não são só os jogadores que sofrem, outras pessoas que estão atrás da gente também sofrem. Tenho esposa grávida de sete meses em casa e neste período fica bem mais sensível. Conciliar a fase ruim tendo que dar atenção para familiares é difícil, pois eles sofrem junto com a gente – destacou.

Pacheco disse que até ficou alguns dias sem dormir devido à situação complicada. Também falou da perda da titularidade, que foi recuperada justamente no jogo contra o Atlético-PR.

– Realmente a gente fica triste, mas tem que respeitar o companheiro. O Guto (Ferreira, treinador) fez várias alterações. Bastava respeitar, trabalhar e esperar a oportunidade. Foi isso que aconteceu comigo. O jogador só aparece quando a equipe vai bem. O poder de reação foi muito bom e está todo mundo de parabéns – afirmou.

O lateral revelou que o treinador o chamou antes de a bola rolar e passou confiança. Quando tomou o gol, ele disse que quase não acreditou, pois o time não merecia perder, mas ressaltou a reação do grupo. Pacheco, porém, avaliou que é necessário melhorar alguns aspectos e confia que é possível vencer o Internacional na segunda-feira, às 20h, novamente na Arena Condá.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense

 Veja também
 
 Comente essa história