"Quero ajudar meus companheiros a deixar a Chapecoense na Série A", afirma WP9 Darci Debona/

Wellington Paulista ao lado do técnico Claudinei Oliveira após ser reintegrado ao grupo principal da Chapecoense

Foto: Darci Debona

Foi concorrida a primeira entrevista coletiva de Wellington Paulista após a sua reintegração do ao time principal, após quase dois meses de afastamento. O próprio jogador se surpreendeu com a presença de mais de dez veículos de comunicação  no Centro de Treinamento da Água Amarela. Tanto que ele brincou com o assessor de imprensa, Daniel Fasolin, pedindo uma camisa para apresentação.

- Parece uma apresentação de chegada nova no clube, estou muito feliz, de verdade, estou muito feliz, na realidade quero fazer o que mais gosto e ajudar meus companheiros a deixar a Chapecoense na primeira divisão, que é o mais importante - declarou.

Questionado sobre o motivo de seu afastamento, o jogador disse desconhecer o motivo. 

- Continuei treinando, ajudando, fazendo os gols lá no sub-23 com os meninos e do mesmo jeito que fui afastado sem saber o motivo também voltei sem saber de nada, me mandaram voltar, lógico com o apoio do torcedor, de alguns de vocês da imprensa e dos meus companheiros de clube, acho que o mais importante é saber que agora tem que estar fechado todo mundo para fazer grandes jogos na Arena e fora de casa também – afirmou.

No entanto, em outra resposta, disse que não cabia a ele comentar o assunto se ninguém da direção havia comentado. Em outra pergunta sobre uma possível contrariedade do diretor-executivo André Figueiredo contrário ao seu retorno, disse que para ele não foi falado nada.

Sobre o treinador Guto Ferreira, que estava no período em que foi afastado, disse não ter conversado com o jogador.

O atacante afirmo que sofreu muito ao ficar apenas torcendo para o time, do lado de fora. Disse que acredita na permanência da Chapecoense na Primeira Divisão.

Depois da entrevista o jogador passou por um “corredor polonês” dos jogadores, que bateram nele com as camisetas, como uma espécie de batismo de retorno. Ele cumprimentou o técnico Claudinei Oliveira e treinou entre os reservas. Os titulares no jogo contra o Cruzeiro fizeram apenas um trabalho regenerativo.

Resta saber se o técnico Claudinei Oliveira vai utilizá-lo no time titular no jogo do próximo sábado, contra o América-MG.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense


 Veja também
 
 Comente essa história