Plínio David de Nes Filho, o Maninho, é reeleito presidente da Chapecoense Sirli Freitas/Chapecoense

Maninho fica no cargo à frente da diretoria executiva para o biênio 2019/2020

Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

A chapa "Juntos pela Chape" foi a vencedora da primeira eleição na história da Chapecoense. Na noite desta segunda-feira, no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes, em Chapecó, 134 conselheiros votaram pela continuidade do trabalho da diretoria executiva encabeçada pelo presidente Plínio David de Nes Filho, o Maninho, que permanece à frente do clube no biênio 2019/2020. 

O pleito eleitoral, que teve início às 18h30min, transcorreu tudo dentro da normalidade. Foram 215 votos que decidiram o futuro da Chapecoense. Além dos votos que deram a vitória para a chapa "Juntos pela Chape", ainda foram 81 para a oposição "Renovação, transparência, competência, honestidade", que tinha à frente o diretor das categorias de base Cézar Dal Piva, o Mano.   

 – Passado o momento da eleição, temos que enaltecer esse clube que aprendemos a amar. Nos comprometemos com uma plataforma de trabalho e vamos cumprir. Faremos o segundo mandato voltado à conclusão de um ciclo importante na vida do clube. Vamos agregar os companheiros da oposição na luta para tornar a nossa cidade importante para o futebol. Iremos implantar a excelência no futebol da Chapecoense. Queremos ver a nossa Chape em uma posição de mais destaque. Nos orgulhamos com o 10º lugar no ranking de clubes. Hoje, a Chape, que parecia um sonho impossível, está na frente de São Paulo e Fluminense. E isso é de extremo significado – falou Maninho em seu discurso. 

Além do presidente Maninho, a situação ainda conta com Luiz Antônio Danielli (vice de marketing e patrimônio), Cleimar João Spessato (vice de futebol), Cesair Bartolomei (vice jurídico) e Rudimar Bortolotto (presidente do Conselho Deliberativo). A chapa "Juntos pela Chape" toma posse e o primeiro ato voltado ao futebol é a renovação com o técnico Claudinei Oliveira.

As principais propostas da situação
• Construção de um novo Centro de Treinamento ou aquisição do atual, que está em comodato, para ampliação da estrutura.
• Reduzir o plantel para 30 jogadores, incluindo os atletas da base.
• Aprimorar a formação de novos atletas e fazer parcerias com clubes europeus e paulistas.
• Internacionalização da marca.
• Novos serviços para sócios.
• Manter equilíbrio entre receita e despesa.
• Manter uma atuação de confiança e conciliação com as famílias das vítimas do acidente aéreo.


Leia mais notícias sobre a Chapecoense

 Veja também
 
 Comente essa história