Técnico da Chapecoense quer ficar em 2019 Sirli Freitas/Chapecoense

Reintegração de Wellington Paulista foi uma das medidas acertadas de Claudinei Oliveira

Foto: Sirli Freitas / Chapecoense

Depois de livrar a Chapecoense do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, ao conquistar quatro vitórias e um empate em nove jogos, o técnico Claudinei Oliveira lembrou que aceitou o desafio de treinar o time catarinense pois acreditava no grupo e também no seu trabalho.

- Não estava vindo para nove jogos. Acho que deixar meu nome na história do clube eu já fiz. Agora quero ver se consigo dar uma sequência no trabalho e continuar fazendo história. Agradeço aos jogadores que se entregaram. Quero ficar e estou à disposição – disse o treinador.

Na verdade a permanência do técnico só não está definida porque há uma eleição no clube, marcada para o dia 10 de dezembro.

O técnico lembrou que a Chapecoense foi seu quarto time na temporada, considera que tem alguma contribuição na montagem do time do Avaí, que conquistou o acesso na Série A, ressaltou que quando deixou o Sport o time pernambucano não estava na zona de rebaixamento e que mesmo não conseguindo vencer no Paraná clube, teve a confiança da Chapecoense.

- Agradeço o apoio de todas as pessoas do clube. A gente sabe que chegou com uma certa desconfiança e agradece a diretoria por ter confiado em mim e retribui com resultado. Foi a primeira vez na minha carreira que me emocionei antes do jogo. Agora é pensar em 2019 – disse.

Ele também agradeceu o apoio da torcida que entendeu a importância de apoiar a equipe no jogo decisivo contra o São Paulo e bateu o recorde de público, com 19.992 pessoas.

Disse que fez questão de abraçar cada jogador ao final da partida, pois eles acreditaram e se dedicaram ao máximo para buscar o objetivo.

Ressaltou que a Chapecoense e o Santos continuam sendo os únicos times da Série A que não são de uma capital. Lembrando que o time paulista teve Pelé, tricampeão mundial pela Seleção Brasileira.

Por tudo isso ele considera que a Chapecoense exige um envolvimento maior, uma conduta diferente. Pois não é apenas um time de futebol e sim o representante e a referência de uma cidade e uma região. E graças ao trabalho de Claudinei Oliveira essa região vai continuar sediando jogos com as maiores equipes do Brasil.

Além disso há uma possibilidade do clube também conquistar uma vaga na Sul-Americana. Para isso o Atlético-PR teria que ser campeão  da competição, para abrir mais uma vaga. 

A Chapecoense terminou o Campeonato Brasileiro na 14ª posição, à frente de Vasco e Ceará.

Leia mais notícias sobre a Chapecoense

 Veja também
 
 Comente essa história