Roberto Alves: Avaí e Figueirense sem treinadores e as opções do mercado Diorgenes Pandini/Agencia RBS

Foto: Diorgenes Pandini / Agencia RBS

Avaí e Figueirense estão sem treinadores. A verdade é que com as dificuldades financeiras que a dupla atravessa não há muito o que escolher. É apostar em nomes conhecidos de Santa Catarina e acreditar que aqui temos profissionais capazes de recuperar os dois times. Mas até que se defina os novos comandantes existirá muita discussão e ofertas nos bastidores.

Leia outras opiniões de Roberto Alves

O técnico

Na segunda-feira, Péricles Chamusca era o nome mais cotado para assumir o comando do Avaí. Porém, à noite, o profissional declinou do convite. Na minha visão, o Leão precisa é de um técnico para segurar o time na Série B, não adianta dizer que o clube tem outras pretensões no momento.

Diferente

Chamusca é bom técnico e isso não se discute. Mas não via nele o profissional para no momento dar o tratamento de choque que o time precisa. Agora o mais cotado é Claudinei Oliveira (foto), que começou fazendo um bom trabalho no Santos em 2013. Ele havia sido sondado na segunda-feira e a partir desta terça deverá ser procurado pela diretoria avaiana.

Nomes

Geninho seria o preferido do presidente Francisco Battistotti, mas no momento não pode abandonar o ABC-RN, onde faz grande trabalho. Diz a imprensa de Natal que foi o melhor técnico que por lá passou nos últimos anos. Marquinhos Santos, aquele que treinou o Coritiba, está no Fortaleza e também a caminho de um acesso na Série C.

Na leitura que faço, nem Chamusca nem os outros citados fazem o perfil que o time precisa. O que seria então? Disciplinador, conhecedor do futebol brasileiro e, sobretudo, comprometido com a permanência do Avaí na Série B.

A lista

Sem o Figueirense se pronunciar, os bastidores estão agitados com preferências na torcida, empresários e até nomes que agradam a um segmento da imprensa. Adilson Batista, Fernando Diniz, Ney Franco, Antonio Carlos Zago, Gilmar Dal Pozzo e Hemerson Maria são alguns deles.

O preferido

Pelo que ouvimos entre os torcedores, sem dúvida o nome de Gilmar Dal Pozzo tem preferência. Ocorre que a diretoria quer algo mais acima. Nome nacional e de repercussão. Torcedor também gosta de Hemerson Maria. Ele e Dal Pozzo têm contra si o fato de serem praticamente pratas da casa. Também no Scarpelli é necessário um profissional de perfil rígido com forte personalidade e experiência nacional. Os dois estão bem perto do clube que tem outras preferências.

E quarta-feira?

A novidade de segunda-feira no treino do Figueirense foi a volta de Marcos Seixas, campeão olímpico com o Brasil. E se o novo técnico ainda não estiver no Orlando Scarpelli, Tuca Guimarães vai dirigir o time contra o Flamengo em jogo da Sul-Americana. 

Por outro lado, o lateral Rodrigo Biro, que não está sendo aproveitado pelo Figueirense, foi oferecido ao Tigre. Está sendo avaliado. Alguma coisa será feita em função do desastre diante do Paysandu, após a derrota por 3 a 0, em pleno Majestoso.

Recentemente, havia conversa com Jaime Dal Farra e senti que tudo caminhava muito bem. Os resultados seguintes contrariam a opinião até porque este parece ser o ano do acesso tal a igualdade técnica dos participantes da serie B. Mas, então, o que está havendo?

 Veja também
 
 Comente essa história