Técnico do Criciúma não teme o líder, mas reconhece: "Temos que fazer mais" Guilherme Hahn/Especial

Técnico projeta melhores atuações para que a pressão da torcida tricolor recaia sobre os adversários

Foto: Guilherme Hahn / Especial

O técnico do Criciúma, Mazola Júnior, não espera facilidade no jogo desta terça-feira (22), contra o Fortaleza, fora de casa. Mesmo assim, espera um bom jogo para que o time tenha de volta o apoio do torcedor. Para o comandante, só assim o Tigre terá alguma chance de reação na Série B do Campeonato Brasileiro, onde ocupa uma das posições na zona de rebaixamento.

— Temos que superar esse momento e fazer com que a pressão do torcedor recaia sobre os adversários. Mas isso só acontecerá com resultados. Temos que fazer mais do que estamos fazendo. O que estamos fazendo não está dando certo e não está agradando ao torcedor — reconhece Mazola.

Na avaliação do técnico, o Criciúma precisa melhorar em todos os setores, a começar pela defesa. O Tigre tem cometido muitos erros individuais que acabaram custando caro nos cinco primeiros jogos. Logo na estreia, no empate em 0 a 0 contra o Juventude, Mazola já percebeu uma melhora no setor defensivo, mas considera que ainda há espaço para evoluir.

— Contra o Juventude nem criamos chances, só duas ou três situações. Precisamos evoluir nesse sentido também, não só na defesa, mas também na criação, usar mais os lados do campo. Vamos fazer com que já haja uma melhora nesse aspecto contra o Fortaleza — projeta.

A delegação do Criciúma já está desde domingo na capital cearense, onde enfrenta o Fortaleza nesta terça-feira, às 21h30min. 


Confira a tabela da Série B do Brasileiro 2018
Leia mais notícias sobre a
Série B do Brasileiro 2018

 Veja também
 
 Comente essa história