Criciúma abre vantagem de dois gols, mas cede empate ao Coritiba Guilherme Hahn/Especial

Foto: Guilherme Hahn / Especial

Com dois gols em sequência na metade do primeiro tempo, o Criciúma deu a entender que teria facilidade para garantir a primeira vitória do returno da Série B do Campeonato Brasileiro, mas relaxou na segunda etapa e cedeu o empate. Sob chuva e um frio de 9ºC, o Tigre não superou o Coritiba e chegou ao terceiro jogo consecutivo sem vitória. O Coxa não vence há cinco partidas.

O próximo compromisso será ainda nesta semana. Na quinta-feira, o Tigre viaja a Maceió, onde enfrenta o CSA no sábado, às 16h30min. O adversário alagoano é o vice-líder da Série B.

O jogo

Criciúma e Coritiba entraram em campo precisando da vitória para interromper as sequências de dois e quatro jogos sem vencer, respectivamente. O jogo começou equilibrado e com o Coxa chegando mais à frente, mas o Tigre estava firme atrás.

Os anfitriões passaram a dominar o jogo a partir dos 19 minutos, quando, após um cruzamento vindo da direita, o lateral Carlos César derrubou Zé Carlos dentro da área. O árbitro assinalou o pênalti. O próprio Zé partiu para a cobrança e colocou a bola no canto esquerdo de Wilson, que pulou para o lado oposto.

O gol aqueceu o Criciúma e não demorou para que o placar fosse ampliado. Aos 23, Elvis recebeu pela direita e cruzou na área. A bola passou por Zé Carlos e chegou até Vitor Feijão, que bateu dividindo com o zagueiro, mas não vacilou. Bola na rede e vantagem ainda maior para o Tigre.

Sob gritos irritados do técnico Tcheco, o Coritiba acordou, mas parou em Belliato. Aos 29 minutos, Guilherme Parede girou sobre a marcação de Nino dentro da área e bateu cruzado com força, mas o arqueiro do Tigre fechou o ângulo e espalmou.

O Coxa seguiu mais ofensivo no que restou do primeiro tempo. Nos acréscimos, Vinicius Kiss fez boa jogada pela direita e cruzou rasteiro. Guilherme finalizou de primeira e descontou para o Coritiba. 

Chuva apertou

Os times voltaram sem alteração para o segundo tempo e a única mudança foi a chuva, que ficou mais forte.

O Tigre teve a primeira boa chance logo no segundo minuto. Zé Carlos recebeu na entrada da área, pela direita, e bateu cruzado. A bola não ia em direção ao gol, mas o zagueiro Thalisson Kelven desviou e quase encobriu Wilson, que conseguiu evitar o terceiro gol do Tigre. 

Enquanto o Criciúma recuava para tentar administrar o resultado, o técnico Tcheco esvaziava o meio-campo para mandar o time ao ataque e a estratégia surgiu efeito. O Coritiba passou a pressionar e encurralar o Criciúma no campo de defesa, até que, aos 30 minutos, Jean Mangabeira desviou uma bola com o braço dentro da área. Mais um pênalti, mas desta vez para os visitantes.

O goleiro Wilson foi para a cobrança e mandou no lado direito de Belliato, que até acertou o canto, mas não alcançou. Tudo igual no Majestoso.

Cinco minutos depois do gol, o zagueiro Thalisson Kelven interrompeu um contra-ataque com falta em Andrew, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. Com um a mais, foi a vez do Criciúma colocar pressão. Mazola também lançou o time ao ataque.

A melhor chance carvoeira veio nos acréscimos. Em falta cobrada do bico da área, Elvis mandou direto, mas o goleiro Wilson salvou o Coritiba.

FICHA TÉCNICA

CRICIÚMA - 2
Belliato; Sueliton, Nino, Liel e Marlon; Jean Mangabeira (Alex Maranhão), Eduardo, Luiz Fernando (Marlon Freitas) e Elvis; Vitor Feijão (Andrew) e Zé Carlos. Técnico: Mazola Júnior. 

CORITIBA - 2
Wilson, Carlos Cesar, Thalisson Kelven, Rafael Lima e William Matheus; Uillian Correia, Simião (Yan Sasse), Vinícius Kiss (Bruno Moraes) e Carlos Eduardo (Alisson Farias); Guilherme e Guilherme Parede. Técnico: Tcheco. 

GOLS: Zé Carlos, aos 21 do 1ºT, e Vitor Feijão, aos 23 do 1ºT (CRI). Guilherme, aos 46 do 1ºT, e Wilson, aos 32 do 2ºT (COR)
CARTÕES AMARELOS: Sueliton, Elvis e Marlon (CRI). Carlos César, Guilherme e Thalisson Kelven (COR)
CARTÕES VERMELHOS: Thalisson Kelven (COR)

ARBITRAGEM:  Daniel Nobre Bins, auxiliado por Leirson Peng Martins e Lúcio Beiersdorf Flor (trio do RS).
BORDERÔ: 2.098 torcedores para uma renda de R$ 43.690
LOCAL: Heriberto Hülse, em Criciúma (SC) 

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

 Veja também
 
 Comente essa história