Brasil marca no fim e vence o Criciúma no Heriberto Hülse Guilherme Hahn/Especial

Estreante, meia Gabriel foi o destaque da partida pelo lado do Criciúma, mas não foi suficiente para evitar a derrota

Foto: Guilherme Hahn / Especial

O Criciúma até foi melhor que o Brasil de Pelotas em vários momentos do jogo, mas não conseguiu sair do estádio Heriberto Hülse, na noite desta terça-feira, sequer com um ponto. O Tigre perdeu por 1 a 0 e sente aumentar aumentar a pressão para a reta final na fuga do rebaixamento.

O Carvoeiro finaliza a sequência de dois jogos em casa com um aproveitamento de apenas 16,7%. O time é o 12º colocado, mas pode descer na tabela com o complemento da rodada na sexta-feira. O Carvoeiro terá dez dias para se preparar para o próximo jogo. O duelo será só na sexta-feira da semana que vem, dia 19, contra o São Bento, fora de casa, às 20h30min.

O jogo

Não é do feitio do Criciúma propor o jogo, mas foi isso que o Tigre fez na noite dessa terça-feira. Tirando proveito de uma marcação à distância e relapsa por parte do Xavante, os donos da casa comandaram todas as ações. A dificuldade foi no terço final de campo.

No primeiro tempo, a única vez em que o Criciúma levou perigo foi logo aos cinco minutos. O  estreante Gabriel arrancou aplausos da torcida ao driblar Eder Sciola com estilo e finalizar com força, mas à direita do gol defendido por Pitol.

Depois, o Tigre limitou-se a tocar a bola no campo ofensivo, mas com dificuldades para avançar sobre a recuada defesa xavante. O Xavante chegava em ocasiões esporádicas, mas em momento algum assustou o goleiro Belliato.

SC - Criciúma - 09/10/2018 - Brasileiro B 2018, Criciúma x Brasil de Pelotas - Liel do Criciúma disputa lance com Jogador do Brasil de Pelotas durante partida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro B 2018 no estádio Heriberto Hülse. Foto: Guilherme Hahn Especial
Foto: Guilherme Hahn / Especial

Depois do intervalo, a única coisa que mudou foi a marcação do Brasil, mais avançada. O jogo passou a ficar preso no meio-campo, mas os visitantes assustaram o goleiro Belliato logo aos três minutos. Welinton Júnior venceu a marcação de Sueliton, invadiu a área pela esquerda e finalizou. A bola passou perto do gol.

Os dois técnicos promoveram alterações para capacidade de definição no ataque.  O Criciúma melhorou. Gabriel teve boas chances aos 23 e 25. Na primeira, Pitol fez a defesa mais difícil do jogo; na segunda, a zaga desviou para escanteio.

O jogo seguiu em ritmo sonolento até o fim, sem chances reais de gol em nenhum dos dois lados. Pior para o lado do Criciúma, que viu a falta de eficácia no ataque se tornar em revés na defesa. Já aos 46, em cobrança de escanteio pela esquerda, Leandro Leite desviou e, ao tentar afastar, Marlon empurrou a bola contra o próprio gol.

Sem tempo para mais nada, o jogo acabou com vitória por 1 a 0 a favor dos visitantes, encerrando uma sequência invicta de sete jogos do Tigre.


FICHA TÉCNICA - CRICIÚMA 0 x 1 BRASIL

CRICIÚMA
Belliato; Sueliton, Nino, Sandro e Marlon; Liel, Ronaldo, Marlon Freitas (Patrick), Gabriel e Luiz Fernando (Marcinho Júnior); Joanderson (Julimar). Técnico: Mazola Júnior.  

BRASIL-RS
Marcelo Pitol; Éder Sciola, Leandro Camilo, Rafael Dumas e Alex Ruan (Nirley); Leandro Leite, Itaqui, Diego Miranda, Rafael Gava e Welinton Júnior (Léo Bahia); Michel (Wallace Pernambucano). Técnico: Rogério Zimmermann.

GOLS: Leandro Leite, aos 46 do 2ºT (B)
CARTÕES AMARELOS: Sueliton, Ronaldo, Marlon e Nino (C). Diego Miranda (B)

ARBITRAGEM: Vinicius Furlan, auxiliado por Herman Brunal Vani e Vitor Carmona Metestaine (trio de SP).
PÚBLICO E RENDA: 3.444, para renda de R$ 52.230,00.
LOCAL: Heriberto Hulse, em Criciúma.

Veja a tabela da Série B do Brasileiro
Mais notícias do
Criciúma

 Veja também
 
 Comente essa história