Marquinhos, Werley e Bruno Alves disputam a titularidade na zaga do Figueirense Montagem sobre fotos de luiz Henrique, FFC/

Foto: Montagem sobre fotos de luiz Henrique, FFC

Três zagueiros e apenas duas vagas no time titular, assim está a disputa na defesa do Figueirense. Contratado durante o Campeonato Brasileiro, Werley estava no banco de reservas, mas contra o Atlético-MG ganhou a vaga de titular no lugar de Marquinhos.

Leia mais notícias do Figueirense
Acesse a tabela da Série A

Contra o Sampaio Corrêa, na Copa do Brasil, os dois foram titulares, ficando Bruno Alves no banco de reservas, poupado. No domingo, contra o Grêmio, em Porto Alegre, às 11h, uma coisa é certa: Bruno será titular.

Atleta criado na base alvinegra, Bruno Alves jogou todas as partidas na Série A, sem ser substituído em nenhum jogo e sem levar nenhum cartão. Até por essas sequência foi poupado na última quarta-feira.

– Nós, jogadores, não percebemos que podemos estar próximos de uma lesão e por isso temos escutar a fisiologia e a preparação física. Essa disputa entre nós três só faz o professor Eutrópio e o Figueirense ganharem opções – analisou Bruno.

Marquinhos era o capitão do time, mas, depois de uma séria lesão muscular que o afastou por quase dois meses dos campos, ele perdeu a braçadeira para o centroavante Rafael Moura e no último jogo do Brasileirão, a titularidade. De volta ao time contra o Sampaio, ele refletiu sobre a disputa na defesa.

– Isso é bom para o grupo. O Figueirense tem jogadores de alto nível na mesma posição e isso é importante porque o Campeonato Brasileiro é longo e ainda tem a Copa do Brasil. E o bom é que o treinador pode escolher quem sempre está na melhor forma – analisou Marquinhos, sem entrar na polêmica sobre a titularidade.

Quem comemora essas opções na defesa é o técnico Vinícius Eutrópio, que em outros setores tem sofrido com a falta de atletas, muito por causa das lesões. Além de não ter Carlos Alberto, Lins e Ortega, o treinador também perdeu o volante Ferrugem, que ficará um mês no departamento médico.

– Todos sabem que tem valor no grupo e são importantes. Eu preciso de problemas positivos, que é ter mais de um atleta para cada posição. Com isso, conseguimos manter o time equilibrado – disse o Eutrópio.

Reencontro e confiança

Werley fez, pela primeira vez, dois jogos seguidos como titular e espera manter essa sequência em busca de um melhor ritmo.

– Está sendo muito bom jogar em sequência. Isso é diferente do que só entrar de vez em quando. Estou pegando ritmo e feliz pela oportunidade. Só quero ajudar o Figueirense – disse o zagueiro que fez apenas três jogos pelo clube.

No domingo, Werley reencontrará o seu ex-clube. Na verdade ele ainda é atleta do Grêmio e está emprestado ao Figueirense até o fim desta temporada.

– Será um jogo importante, a equipe deles é qualificada e temos que estar preparados para uma transição forte. Vai ser um reencontro normal para mim, vamos para o jogo – finalizou Werley, lembrando das dificuldades da partida.


 Veja também
 
 Comente essa história