Marquinhos Santos tem o pior aproveitamento entre os técnicos do Figueirense em 2016 Leo Munhoz/Agencia RBS

Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

É inegável que o empate por 0 a 0 com o Grêmio, no último sábado, deixou a missão de escapar da zona de rebaixamento ainda mais complicada para o Figueirense. O time reflete os problemas da temporada que já começou com maus resultados no Campeonato Catarinense, onde o time buscava o tricampeonato, mas terminou longe da decisão.

Até agora, 2016 teve cinco comandantes e Marquinhos Santos tem o pior aproveitamento deles. São sete partidas, com quatro derrotas, um empate e uma vitória — na estreia contra o Santa Cruz. Seu aproveitamento é de 23,8%.

Se olharmos apenas para o Brasileirão, o técnico com melhor aproveitamento foi Tuca Guimarães. Hoje ele voltou a ser auxiliar técnico do clube, mas enquanto esteve a frente do time na Série A teve um aproveitamento de 38,8%. Vinícius Eutrópio foi o que mais teve jogos, 14, e um aproveitamento de 35,7%. Argel Fucks, em sete jogos, 28,5%.

Com Marquinhos, o Furacão também igualou a maior seca de vitórias da temporada, seis jogos. Somando todas as competições de 2016, o Figueira só tinha ficado tanto tempo sem vencer no início do ano no Campeonato Catarinense, quando Hudson Coutinho voltou a ser auxiliar técnico do clube e Eutrópio foi contratado.

Olhando a temporada inteira, o técnico com melhores números é Vinícius Eutrópio. Ele tem apenas oito derrotas e um aproveitamento de 51,1%. Foi ele responsável por tirar o time da luta contra o rebaixamento do Catarinense, mas foi demito para que o presidente Wilfredo Brillinger contratasse Argel Fucks. 


Veja mais:

Figueirense perde outra chance: não supera nem os reservas do Grêmio
Confira a tabela da
 Série A
Leia mais sobre o 
Figueirense


 Veja também
 
 Comente essa história