Time que está ganhando não se mexe. Uma das máximas do futebol está sob análise no Figueirense. Isso porque a equipe surpreendeu – e venceu – o Brasil de Pelotas, fora de casa, com um esquema tático diferente, com três zagueiros. O 3-4-3 deu certo no interior gaúcho, mas o técnico Marcelo Cabo ainda avalia se continua com ele para o próximo desafio na Série B do Campeonato Brasileiro. Às 19h15 de amanhã, o Alvinegro enfrenta o Oeste no Orlando Scarpelli.

Mesmo sem um armador de ofício, um meia, o esquema propiciou ao Figueira um jogo fluído. Tantos que os gols de Robinho e Henan foram em jogadas de bola rolando, ainda que tenham sido fruto da técnica de cada um deles. O treinador acredita que o 3-4-3 pode ter sido circunstancial e no apronto de hoje vai definir qual a tática para tentar a segunda vitória seguida na competição.

— É um sistema que a gente poderia usar principalmente contra as características do Brasil de Pelotas. Sou pago para pensar, criar estratégia e criamos isso analisando o adversário. Mas nem sempre com três zagueiros você é defensivo, precisa ocupar espaço. Os zagueiros experientes trouxeram a confiança aos companheiros, para dar liberdade aos outros. Estratégia foi equilibrar e deu certo — analisou Cabo.

Em decorrência da suspensão de Leandro Almeida, integrante do trio que foi expulso na partida, o treinador pode usar Bruno Alves caso decida pela repetição. Outro que pode aparecer é o atacante Zé Love. O jogo diante do Oeste foi estabelecido como a previsão para o retorno do atleta em partidas, após recuperação de lesão.

Leia mais notícias sobre o Figueirense

Acesse a tabela de classificação da Série B do Brasileirão
DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história