Figueirense escapa do rebaixamento, mas leva virada do CRB e termina o ano com derrota PEI FON / ESTAD¿?O CONTE¿?DO/ESTAD¿?O CONTE¿?DO

Rafael Costa, ex-jogador do Alvinegro, marcou o primeiro gol do CRB na partida

Foto: PEI FON / ESTAD¿?O CONTE¿?DO / ESTAD¿?O CONTE¿?DO

O Figueirense encerrou 2018 com mais uma derrota. Após abrir o placar com Pereira logo no início da partida, o Alvinegro deixou o CRB dominar o jogo e virar com gols de Willians Santana e Rafael Costa — que aplicou a lei do ex. Apesar do resultado ruim, o time do Estreito escapou do rebaixamento porque o Paysandu, primeiro time do Z-4, foi goleado pelo Atlético Goianiense na última rodada da Série B.

Após conquistar o título do Campeonato Catarinense e começar bem a Série B, com chances de acesso até a metade do segundo turno, o Figueirense teve queda de rendimento nos últimos meses de 2018. Foram apenas três vitórias no returno e um fim de ano muito aquém do esperado, encerrando a campanha com 46 pontos na 15ª posição da Série B e com sequência de três derrotas nos últimos jogos do ano.

Figueirense abre o placar logo no início

O jogo começou com grande oportunidade para o CRB. Willians Santana recebeu bom lançamento de Iago após contra-ataque da equipe alagoana e ficou na frente do goleiro Denis. Ele chutou cruzado próximo à entrada da área e a bola passou rasteira ao lado direito do gol do Alvinegro.

Mas quem chegou ao gol foi o Figueirense. Aos 8 minutos, Betinho avançou pela ponta direita e cruzou na medida para Matheus Pereira, que infiltrou entre os zagueiros do CRB e apareceu sem marcação para cabecear a bola. O lance foi conforme o manual: cabeceio para o chão e no canto do gol — no caso, o esquerdo —, sem chances para o goleiro João Carlos. 

A equipe alagoana acusou o golpe. Enquanto o Figueirense tocava a bola com tranquilidade, o CRB demonstrava nervosismo que refletia em faltas desnecessárias e muitos impedimentos. Afinal, naquele momento o CRB ficava na rabeira do Z-4, sendo ultrapassado pelo Paysandu e dependendo de outros resultados para permanecer na Série B.

Denis salva o Alvinegro

Quando o CRB passou a dominar as ações do jogo, principalmente em lances de bola parada e jogadas de velocidade pelo lado esquerdo de ataque, Denis apareceu muito bem para salvar o Figueirense. Aos 27, defendeu uma forte cobrança de falta de Paulinho no canto esquerdo do gol. Quatro minutos depois, agiu na hora certa para tirar a bola antes que Diogo Mateus dominasse o cruzamento feito por Willians Santana.

A principal baixa do Figueirense no primeiro tempo foi do seu camisa 10. Jorge Henrique sentiu dores e caiu no gramado. Após receber atendimento médico, o jogador foi substituído por Romarinho. O filho de Romário quase teve o seu momento de brilho aos 45 minutos, após fazer cruzamento rasteiro para Elton - que girou o corpo mas chutou fraco para defesa de João Paulo.

Mas a melhor chance no fim do jogo seria mesmo do CRB, que não conseguia aproveitar o maior volume de jogo para criar chances de gol. A exceção foi quando Paulinho, de novo ele, cobrou falta forte e colocada na entrada da área aos 49 minutos. E o goleiro do Figueirense estava com estrela: quando não conseguiu chegar na bola, contou com a sorte para a bola bater no travessão à sua esquerda e sair da área.

Segundo tempo tem CRB no comando

A equipe alagoana voltou do intervalo mais determinada a buscar o empate. Com ainda mais posse de bola, o CRB passou a transformar seu domínio em chances de gol. A primeira foi aos 6 minutos, quando Anderson Conceição cabeceou bem após cruzamento do lado direito de ataque. Denis fez linda defesa, tirando a bola que iria para o ângulo do gol.

No minuto seguinte, a pressão do CRB enfim deu resultado. Paulinho chutou cruzado e Rafael Costa aplicou a lei do ex ao desviar a bola que iria para fora e empatar o jogo para a equipe alagoana. Os jogadores do Figueirense reclamaram muito de um possível impedimento do atacante do CRB, mas o árbitro validou o gol alegando que o atleta estava na mesma linha de Romarinho.

O time da casa continuou pressionando e, sem deixar o Figueirense tocar na bola, virou o jogo dez minutos depois. Iago cruzou para Rafael Costa, que tocou para Willians Santana do outro lado da área enquanto a defesa do Alvinegro assistia ao lance. Após perder uma boa oportunidade no início do jogo, o artilheiro do CRB não repetiu o erro e chutou para o fundo do gol de Denis.

Figueirense fica sem reação

Atrás no placar, o Figueirense teve que voltar para o jogo enquanto o CRB se posicionou de forma defensiva para manter o resultado. O time catarinense teve uma boa chance aos 22 minutos, quando Elton chutou da entrada da área no canto esquerdo do goleiro João Carlos, que caiu para fazer uma boa defesa.

O Figueirense passou a dominar a posse de bola, mas trocava passes sem criar oportunidades e tinha dificuldades até de passar do meio de campo. Já o CRB recuou a equipe, trocou o atacante Rafael Costa pelo volante Tinga, e parecia contente com o resultado — até porque o Paysandu levou a virada do Atlético Goianiense e ambas as equipes ficavam mais distantes da possibilidade de rebaixamento.

Mesmo em desvantagem, o Figueirense também se acomodou no jogo à medida que os minutos passavam. As equipes passaram a tocar a bola e não criaram mais nenhuma chance de gol até o apito final. Ambas escaparam do rebaixamento, apesar do Alvinegro ter encerrado o ano com um gosto amargo após um segundo turno ruim.

FICHA TÉCNICA
CRB X FIGUEIRENSE

CRB
João Carlos; Diogo Mateus, Everton Sena, Anderson Conceição e Paulinho; Claudinei, Serginho (Felipe Menezes) e Renan Oliveira (Mazola); Iago, Willians Santana e Rafael Costa (Tinga).
Técnico: Roberto Fernandes.

FIGUEIRENSE
Denis; Matheus Sales, Eduardo, Henrique e João Paulo; Zé Antônio, Pereira (Gustavo Poffo), Betinho (Marco Antônio); Jorge Henrique (Romarinho), Felipe Amorim e Elton.
Técnico: Fabinho Santos

GOLS: Pereira (F, 8'/1T, Rafael Costa (C, 7'/2T) e Willians Santana (C, 17'/2T)
CARTÕES AMARELOS: Everton Sena e Claudinei (CRB). Zé Antônio, Pereira e Matheus Sales (F).
ARBITRAGEM: Wagner Magalhães, auxiliado por Rodrigo Corrêa e Luiz Claudio Regazone (trio do RJ).
LOCAL: Estádio Rei Pelé, em Maceió.

 Veja também
 
 Comente essa história