JEC/Krona perde para o Tubarão e se despede do Campeonato Catarinense Vitor Kortmann / JEC/Krona/JEC/Krona

JEC, de Leco, encerrou a temporada de forma precoce na noite desta sexta-feira

Foto: Vitor Kortmann / JEC/Krona / JEC/Krona

A temporada 2018 do JEC/Krona terminou bem diferente em comparação ao ano passado. Derrotado nas finais da Libertadores, Copa do Brasil e eliminado nas quartas de final da Liga Futsal, o Tricolor amargou na noite desta sexta-feira mais uma desclassificação que eliminou as chances de título na temporada. Jogando em Tubarão, o JEC perdeu por 4 a 3 para os donos da casa. Como havia empatado o jogo de ida por 4 a 4, ficou sem a vaga na decisão.

O Tubarão sempre esteve à frente do placar. Serginho colocou o time do Sul do Estado na frente após a cobrança de escanteio. No lance, Willian falhou e o ala do Tubarão aproveitou para marcar. O Joinville empatou com Sinésio, em boa jogada individual.

Ainda no primeiro tempo, o Tubarão voltou a marcar duas vezes, as duas com Pakito. Na primeira, ele cobrou falta e Willian, confuso no lance, pulou atrasado, permitindo o gol. Logo depois, em linda jogada individual, Pakito fez o terceiro.

Antes do intervalo, o Tricolor descontou com Machado, após cobrança de lateral. No segundo tempo, Serginho acertou belo chute de primeira após cobrança de escanteio e marcou o quarto do Tubarão. Desesperado, o Joinville passou a utilizar o goleiro-linha. No entanto, ao invés de chegar ais perto do gol, o time correu mais riscos e só não levou mais porque o Tubarão não estava com a pontaria calibrada.

Ainda assim, restando pouco mais de 40 segundos para o fim, Raul marcou o terceiro, dando uma pequena esperança aos joinvilenses. Mas o tempo era curto para uma reação e a eliminação se confirmou.

Agora, a equipe entrará em férias. Como boa parte do elenco já acertou a renovação de contrato - apenas Gabriel e Raul ainda negociam - poucas novidades devem aparecer nos próximos dias. A diretoria se mobiliza para reforçar o time em 2019.

 Veja também
 
 Comente essa história