Meia do Avaí fala sobre choro após o empate com o Atlético-GO Alvarélio Kurossu/Agencia RBS

Lincoln não conteve as lágrimas após o empate com o Atlético-GO

Foto: Alvarélio Kurossu / Agencia RBS

Depois do capitão William ter chorado após a derrota para o Grêmio, na Ressacada, o meia Lincoln também não conteve as lágrimas depois do empate com o Atlético-GO. Apesar do choro no vestiário, o camisa 99 garante não ter desanimado para a reta final do Brasileiro.

— Foi um momento de desabafo, em que eu fiquei triste porque achei que a gente poderia ter vencido. Era um jogo-chave para nós, a nossa equipe estava jogando bem, mas também sabemos que enfrentamos um time qualificado. Desânimo nunca tive na minha carreira. Sou sempre de buscar, de treinar muito, e de incentivar quem eu acho que está um pouco triste — explica.

O meia diz que somente com trabalho será possível tirar o Leão da zona de rebaixamento. E que isso não tem faltado na Ressacada. 

— Gostaria de ter essa receita para chegar ali dentro do vestiário e falar, mas a gente sabe que o futebol é muito dinâmico e, a partir do momento que você ganha uma, duas seguidas, as coisas podem se encaixar. Tenham certeza que aqui não falta trabalho. É se empenhar e colocar na cabeça, mas temos que pensar em cada partida — ressalta.

Apesar da dificuldade do próximo adversário, o Botafogo, que disputa o título da competição, Lincoln acredita que o Avaí tem condições de se sair bem no confronto. 

— Dificuldade existe e vai existir sempre até a última rodada, independentemente do adversário. E o botafogo é mais um que está lá em cima, que vamos jogar contra, assim como outros que estão na parte de cima. Vai ser uma partida difícil que a gente tem que encarar como uma final — completa.

CLICESPORTES
 Veja também
 
 Comente essa história