Márcio Goiano é demitido do Figueirense Ricardo Duarte/Agencia RBS

Márcio esteve no comando do time em 14 partidas e conseguiu apenas quatro vitórias

Foto: Ricardo Duarte / Agencia RBS

Márcio Goiano não é mais o técnico do Figueirense. Contratado em agosto, no lugar de Hélio dos Anjos, para tentar livrar o Alvinegro do rebaixamento, o profissional foi demitido em uma reunião nesta segunda-feira, 5. Além de Goiano, deixa o clube o auxiliar Benevan dos Santos. O técnico da base, Fernando Gil, será o treinador do clube nas últimas partidas da Série A. A informação é do colunista do Diário Catarinense, Roberto Alves.

— O Benevan sim (foi demitido), mas o Abel não. Abel fica — afirmou Vanderlei Silva, vice de Futebol do Figueirense, explicando que Abel Riberito continua trabalhanco no clube.

O técnico esteve no comando em 14 partidas conquistando quatro vitórias, três empates e sofrendo sete derrotas. Com Goiano no banco de reservas, o time marcou 16 gols e sofreu 26, um saldo negativo de 10 gols. Márcio Goiano era a última esperança do Figueirense para não cair para a Série B. Ídolo da torcida, o treinador foi contratado como o salvador e pela identificação com a torcida que pedia o retorno do técnico.

Essa foi a segunda passagem de Márcio Goiano como técnico do Figueira. A primeira foi em 2010 quando levou o time ao acesso para a Série A, sendo vice-campeão da segunda divisão. Após perder o título do primeiro turno do campeonato catarinense em 2011 para o Criciúma, o técnico foi demitido pelo então presidente Nestor Lodetti.

Goiano tinha contrato com o Figueirense até maio de 2013, até o fim da disputa do Estadual. Junto com ele foi demitido o auxiliar técnico Benevan.

>> ENQUETE: você concorda com a demissão de Goiano?
DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história