Santa Catarina tem cinco times entre os 40 melhores do futebol brasileiro Maurício Vieira/Agencia RBS

Criciúma será o representante de SC na Série A em 2013

Foto: Maurício Vieira / Agencia RBS

O futebol brasileiro está consolidado como o sexto maior mercado de clubes no mundo e existe a projeção de que até 2014 o Brasil ultrapasse a França e entre no chamado Big Five, grupo das principais ligas mundiais. A elite do futebol brasileiro, aquela que chama a atenção dos torcedores e mídia, é formada por 40 times divididos em Série A e B. E pela primeira fez na história, Santa Catarina tem cinco times entre esses 40 melhores e mais assistidos.

Embora as receitas com patrocínios e licenciamento no futebol estejam crescendo, o mercado brasileiro ainda tem uma visão limitada de todo o seu potencial. Esse é o desafio dos times catarinenses. Como achar investimentos para que todos possam coexistir em disputa no alto nível do futebol nacional.

Segundo o jornalista e professor universitário Anderson Gurgel, autor do livro Futebol S/A a economia em campo, Criciúma, Avaí, Joinville, Chapecoense e Figueirense tem que aproveitar o momento e trabalhar as ações de marketing para lucrar.

— Os cinco times podem coexistir em disputa nesse grupo de elite do futebol, desde que um não canibalize o outro. E que construam uma identidade identificada com a região, com o estado. Isso pode ser feito com ações de marketing — explica Gurgel.

O consultor de marketing e gestão esportiva Amir Somoggi em seu estudo Marketing dos clubes de futebol explica que os clubes de futebol no Brasil em 2011 movimentaram 254 milhões de dólares em patrocínio e publicidade, pouco mais de 15% do total gerado com patrocínio esportivo no país. Por isso, o caminho para maiores investimentos está atrelado ao bom trabalho com os sócios, que geralmente são torcedores mais apaixonados, ganhando força para negociar as cotas de televisão, de onde vem a grande fatia de renda dos clubes.

— O clube não pode ficar dependente só da cota de televisão e sócios, tem que ter ações de marketing para aumentar o faturamento — alerta Amir Samoggi.

A disputa na Série B será muito acirrada, quatro dos cinco maiores clubes catarinenses estão na competição. Muitas pessoas veem como negativo a grande quantidade de times, pois diminuiria a chance de alguns catarinenses subir para a primeira divisão, onde está o Criciúma. Mas, na verdade o momento é único e se bem aproveitado pode fortalecer e colocar Santa Catarina de vez entre os principais times do Brasil.

— Não é o nosso melhor resultado porque eu esperava que o Figueirense não fosse rebaixado. Eu queria pelo menos dois clubes na Série A. Mas, está bom. Espero que na próxima temporada isso melhore — disse o presidente da Federação Catarinense de Futebol, Delfim de Pádua Peixoto Filho.

>

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história