Bicampeão da Superliga de vôlei, Badá começa carreira de treinador em Chapecó Sirli Freitas/Agencia RBS

Depois de uma carreira vitoriosa, Badá decidiu voltar a Chapecó

Foto: Sirli Freitas / Agencia RBS

Bicampeão da Superliga de vôlei com Ulbra (1998) e Unisul (2004) e tetracampeão argentino com o Bolívar (2007 a 2010), Jean Carlos Badalotti — o Badá — decidiu passar sua experiência às próximas gerações.

Há dois meses, ele assumiu as categorias de base da Escolinha de Voleibol de Chapecó. Badá está trabalhando com 20 atletas de 14 a 18 anos que venceram a etapa regional da Olesc e na próxima semana disputam a fase regional dos Joguinhos.

O catarinense começou a jogar vôlei inspirado no lendário time do Frigorífico Chapecó, que tinha Milinkovic, Weber, Giovani e Giba. Ele jogou com todas essas feras e construiu uma carreira vitoriosa. Após o título catarinense com a Cimed, em 2011, decidiu voltar a Chapecó para ajudar o time na Superliga B.

Ainda levou a cidade a conquistar os Jasc no ano passado, antes de encerrar a carreira. As dores no ombro direito _ para seguir jogando, teria que passar por uma cirurgia e precisaria de sete meses para a recuperação _ apressaram a decisão.

— Como já estou com 39 anos, pensei que era o momento de encerrar a carreira. E a opção por virar treinador eu já comecei a pensar há uns dez anos, observando os técnicos com quem trabalhei. Se eu não passar adiante a experiência que tive, isso morre comigo — comentou, citando como exemplos os treinadores Weber (atual comandante da seleção argentina), Marcos Pacheco (ex-Cimed, hoje no Sesi), Renan (hoje dirigente) e Cebola (campeão brasileiro com o Minas).

A carreira de Badá inspira jovens como Eduardo Busanello, de Lindoia do Sul.

— É bem bom, porque ele passa bastante experiência para nós — destacou o levantador, que busca vaga no time adulto.

— Treinar com ele dá mais motivação — completa o ponteiro Eduardo Medeiros João, que é de Garopaba.

É treinando esses jovens que Badá pretende contribuir para que Chapecó volte a ser referência no cenário do voleibol.
DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história