Raul Cabral comemora vitória do Avaí em "chance da vida", lamenta confusão e dedica a vitória a Emerson Nunes Jamira Furlani/Avaí FC

Foto: Jamira Furlani / Avaí FC

Raul Cabral foi vitorioso em sua estreia como técnico profissional. E ele pode dizer que fez o que poucos fizeram: teve sua primeira aparição como treinador logo em um clássico e comemorou três pontos na casa do adversário.  O treinador, que comandou o Avaí na vitória por 2 a 1 sobre o Figueirense neste domingo - Paulo Turra assume o time apenas na segunda-feira - se emocionou após a partida.

— Essa vitória representa muito para mim e para todos. Foi o momento mais importante da minha carreira. Antes do jogo, disse que essa era a chance da minha vida, e foi perfeito. Pena que a vitória foi manchada pela briga — disse Raul em entrevista coletiva no vestiário do Avaí.

::: Veja como foi o minuto a minuto
::: Veja a galeria de fotos da partida

O técnico, que era auxiliar de Emerson Nunes e a partir de amanhã volta a comandar os juniores do Leão, ainda tem o futuro incerto. Com o sonho de virar treinador profissional, ele disse não saber se ficará no clube por muito tempo, apesar de não se considerar rebaixado por deixar o time profissional para treinar a base.

— Não tenho orgulho em relação a esse tipo de situação, mas também não acho que estou sendo rebaixado. A gente tem que aceitar e se preparar para uma nova oportunidade mais à frente — disse Cabral.

Raul dedica vitória a Emerson Nunes

Para Raul Cabral, o Avaí foi melhor durante os 90 minutos e mereceu a vitória. Segundo ele, as mudanças feitas logo após a paralisação por causa da briga foram providenciais e mudaram a cara do jogo - o gol da vitória foi de Paulo Sérgio após uma cobrança de falta de Revson, e os dois vieram do banco. O técnico ainda fez questão de lembrar Emerson Nunes, demitido na quinta-feira, mas que também merece créditos pela vitória no clássico.

— A organização tática e a disposição fizeram a diferença. Tivemos o controle durante a maior parte do tempo. Para o segundo tempo o Figueirense veio mais forte e tivemos dificuldade para sair, aconteceu a briga lamentável e dentro da remontagem de equipe a gente conseguiu ser feliz. Os atletas que entraram corresponderam e a gente saiu vitorioso. O Emerson Nunes não esteve aqui, mas também participou da vitória. Esse é um pensamento de todos no clube — finalizou.

DIÁRIO CATARINENSE - Diário Catarinense
 Veja também
 
 Comente essa história