Criciúma derrota o Goiás e volta a vencer depois de 10 rodadas pelo Brasileirão Caio MArcelo/Agencia RBS

Foto: Caio MArcelo / Agencia RBS

Enfim um gol e enfim uma vitória. O Criciúma jogou melhor, venceu o Goiás, exorcizou a zica de sete jogos sem balançar as redes e encerrou com o jejum de dez partidas sem vitórias pelo Brasileirão. Para ser perfeito, faltou sair da zona de rebaixamento, mas está ali, encostado no Palmeiras com os mesmos 21 pontos.

> Confira a classificação do Brasileirão
> Veja como foi o minuto a minuto da partida

O gol da vitória foi marcado pelo lateral João Felipe, mas o grande destaque da partida foi Cleber Santana que comandou o meio-campo tricolor. Silvinho, apesar de alguns erros, se movimentou muito e ajudou a criar boas jogadas ofensivas. Destaque também para Zé Carlos, o atacante com pinta de artilheiro, não marcou gols mas incomodou a defesa e abriu espaços para os companheiros.

No primeiro tempo faltou apenas o gol para o Criciúma. Com muita movimentação boas trocas de passes o Tigre sufocou o Goiás e tirou os jogadores esmeraldinos do sério. O árbitro Alinor Silva da Paixao distribuiu três cartões amarelos ao adversário do time catarinense que praticamente só se defendeu na primeira etapa.

Com Cleber Santana na armação, Paulo Baier teve mais liberdade para aparecer nos espaços que a defesa do Goiás deixava. E um dos principais responsáveis pela criação desses espaços foi o atacante Zé Carlos, que mesmo sem concluir a gol incomodou e puxou a marcação como há muito não se via no Heriberto Hülse.

Dessa forma o Tigre construir quatro grandes chances no primeiro tempo. As quatro com Paulo Baier e nas quatro oportunidades o goleiro Renan salvou o Goiás. Primeiro o capitão do Criciúma mandou de cabeça, depois aproveitou vacilo da defesa. Na terceira chance,  pegou rebote já pressionado pelo goleiro e na quarta chance o Renan defendeu chute colocado.

Enfin, o gol

O Goiás voltou mais ligado depois do intervalo e logo com cinco minutos quase abriu o placar em uma falha de marcação de Giovanni. Sem apresentar a mesmo movimentação do primeiro tempo, o Criciúma não tinha o mesmo poder de criação e a torcida, que havia apoiado durante o primeiro tempo, começava a vaiar. Até que Luis Felipe desafoga o grito de gol entalado há sete rodadas pelo Brasileirão.

O lateral esquerdo arriscou de fora da área um chute de canhota e acertou uma bomba na gaveta de Renan. Golaço no Heriberto Hülse.

Antes do gol, Gilmar Dal Pozzo havia mexido no time. Colocou Lucca e Ricardinho no lugar de Paulo Baier e Rafael Costa. E logo depois de abrir o placar, o treinador foi obrigado a mexer de novo. Luiz sentiu o joelho esquerdo e precisou ser substituído por Galatto.

O Tigre ainda não teve um pênalti a favor marcado quando Zé Carlos cabeceou forte e bola bateu nos braços do zagueiro do Goiás.

Nos minutos finais o Criciúma se fechou e passou a jogar no contra-ataque. Ainda assim criou boas chances e soube manter a bola no ataque quando avançava. Para a irritação dos jogadores do Goiás, o Tigre soube trocar passes, catimbar a partida, segurar e receber faltas. Matou o jogo e venceu.

Ficha técnica

Criciúma
Luiz (Galatto); Luis Felipe, Gualberto, Fábio Ferreira, Giovanni; Serginho, Rafael Costa (Ricardinho), Cleber Santana, Paulo Baier (Lucca); Silvinho, Zé Carlos}
Técnico: Gilmar Dal Pozzo

Goiás
Renan; Valmir Lucas (Ramon), Jackson, Felipe Macedo, Léo Veloso; David, Thiago Mendes, Esquerdinha (Murilo), Tiago Real (Amaral); Samuel, Erik
Técnico: Ricardo Drubscky

Gols: Luis Felipe aos 18 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Léo Veloso, Thiago Mendes, Erik, Luis Felipe, Murilo, Serginho, Thiago Real
Arbitragem: Alinor Silva da Paixao, auxiliado por Paulo Cesar Silva Faria e Lincoln Ribeiro Taques (trio do MT)

Local: Heriberto Hülse, Criciúma.
Público: 8.113 torcedores
Renda: R$ 89.690,00

DIÁRIO CATARINENSE - Criciúma
 Veja também
 
 Comente essa história