Figueirense leva três do Bahia e volta a perder depois de oito rodadas invicto EDUARDO MARTINS/AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO

Foto: EDUARDO MARTINS / AGÊNCIA A TARDE/ESTADÃO CONTEÚDO

A partida em Feira de Santana, entre Bahia e Figueirense teve dois protagonistas. O primeiro foi o péssimo gramado do estádio Joia da Princesa repleto de buracos. Um perfeito exterminador de boas jogadas. O outro protagonistas foi Kieza, atacante do Bahia e único jogador que conseguiu se sobressair às péssimas condições do campo. Marcou dois gols no primeiro tempo e decretou a derrota do Figueirense.

> Confira como foi a partida no minuto a minuto
> Figueirense se mantém fora do Z-4, veja a classificação

O Alvinegro foi coadjuvante no jogo. Criou muito pouco no primeiro tempo e na etapa final não reagiu. Apenas nos 20 minutos finais conseguiu algumas boas trocas de passes, mas que não resultaram em gols. Após oito jogos sem perder, Figueirense e Argel Fucks sucumbiram ao gramado do Joia da Princesa e aos gols de Kieza e Biancucchi, que marcou o terceiro.

A partida também marcou o reencontro do Figueirense com o seu ex-diretor de futebol Rodrigo Pastana. Depois de deixar o time catarinense em situação complicada no Brasileirão, o cartola agora está no Bahia. Porém apesar da derrota, o Alvinegro continua melhor na classificação com cinco pontos na frente do time baiano.

Gramado complica o jogo

Os dois times demoraram para encontrar o futebol em um gramado cheio de buracos e muito irregular. Mas nesse palco ruim, o Figueirense foi pior que o Bahia no primeiro tempo. Com três volantes, Paulo Roberto, Jefferson e Nem o Figueirense errava muitos passes na saída de bola e tinha pouca velocidade na armação. E na marcação, William Cordeiro não se acertou na lateral direita e dava espaços para o time baiano.

Como a bola tinha dificuldades de rolar com qualidade, o jeito era apostar nas jogadas aéreas. Em uma cobrança de escanteio, a zaga do Figueirense se atrapalhou e Kieza não perdoou quando a bola sobrou livre para ele na cara do gol.

Cinco minuto depois o atacante do Bahia provou estar em um tarde inspirada. Kieza recebeu lançamento na entrada da área, girou com facilidade sobre William Cordeiro e chutou com categoria. Gol, de novo dele. Kieza fazia 2 a 0 no placar. E o atacante só não marcou mais um porque o gramado não deixou. Em jogada de contra-ataque, ele entrou livre na área, mas a bola ao invés de rolar, começou a quicar devido aos buracos do gramado e o atacante se atrapalhou todo.

Ah, o Figueirense. Bem o Figueirense deu um chute a gol, aos 35 minutos com Giovanni Augusto. No mais, perdeu para o gramado e para Bahia.

Figueirense não reage e sofre mais um gol

No segundo tempo demorou para o Figueirense esboçar uma reação. Exceto por uma conclusão de Paulo Roberto logo aos 2 minutos de jogo, o Alvinegro fez pouco para buscar o empate. Outra chance criada veio com Pablo, que entrou no lugar de Clayton e chutou forte para boa defesa de Marcelo Lomba.

Argel Fucks também tirou Felipe, que havia entrado no lugar de Jefferson ainda no primeiro tempo, e colocou Jean Carlos. Mas mesmo com três atacantes a bola não chegou ao ataque e Giovanni Augusto se apagou no jogo. Melhor para o Bahia que voltou a ser mais perigoso.

Já perto do final da partida, Marco Aurélio deu belo passe para Maxi Biancucchi. O argentino, na cara do gol, tocou com categoria para fazer a o terceiro e encerrar com as pretensões do Figueirense.

Ficha técnica

Bahia
Marcelo Lomba; Railan, Lucas Fonseca, Demerson, Guilherme Santos; Rafael Miranda, Uelliton, Léo Gago, Emanuel Biancucchi (Marcos Aurélio); Kieza (Henrique), Rafinha (Maxi Biancucchi)
Técnico: Gilson Kleina

Figueirense
Tiago Volpi; William Cordeiro, Marquinhos, Thiago Heleno, Cereceda; Paulo Roberto, Nem, Jefferson (Felipe) (Jean Carlos), Giovanni Augusto; Everaldo, Clayton (Pablo)
Técnico: Argel Fucks

Gols: Kieza aos 17 e aos 22 minutos do primeiro tempo. Maxi Biancucchi aos 38 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos: Giovanni Augusto, Kieza, Rafinha
Arbitragem: Gilberto Rodrigues Castro Júnior, auxiliado por Ricardo Bezerra Chianca e Bruno César Santos de Alcantara (trio do PE)
Local: Estádio Joia da Princesa, em de Feira de Santana

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história