Aidar diz que renunciará à presidência do São Paulo na terça Rubens Chiri/saopaulofc.net/Divulgação/

Carlos Miguel Aidar (E) deixará a presidência são-paulina

Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net/Divulgação

Em meio a uma enorme crise, que envolve denúncias de favorecimento pessoal em negociação de jogadores e perda de apoio político, Carlos Miguel Aidar decidiu renunciar à presidência do São Paulo. Em entrevista ao UOL Esporte, o dirigente confirmou que deixará o cargo até a próxima terça-feira.

Doriva deixa a Ponte Preta e é o novo técnico do São Paulo

— Já convoquei. Tantos os diretores renunciantes como os líderes de partidos. Se o Conselho ainda estiver aberto, protocolo a renúncia na terça à noite — declarou.

No adeus ao São Paulo, técnico Juan Carlos Osorio ignora presidente

Na noite de sábado, o principal grupo de aliados a Aidar, o Participação, comunicou em carta que estava deixando o apoio ao presidente. Liderado por Julio Casares, que renunciou à vice-presidência depois da série de escândalos, o partido pedia a demissão do dirigente.

Leonel Chaves: Osorio é grande demais para o atual tamanho do São Paulo

A crise no clube se intensificou nesta semana, depois que o vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, foi exonerado após ter agredido Aidar. Na sequência, uma série de membros da direção deixou seus cargos e veio à tona um e-mail de Ataíde em que ele fazia uma série de acusações ao dirigente.

O presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, convocou reunião extraordinária para o próximo dia 22 em que provas de irregularidades cometidas pelo presidente, inclusive com uma gravação, seriam mostradas aos conselheiros.

Assim que Aidar renunciar, Leco assumirá imediatamente a presidência e deverá convocar eleições em até 30 dias. Ele mesmo deve ser candidato e o favorito a assumir o comando do clube.

*LANCEPRESS

 DC Recomenda
 
 Comente essa história