Delfim garante Copa Sul-Minas-Rio com ou sem apoio da CBF Cristiano Estrela/Agencia RBS

Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Reunidos na sede do Cruzeiro, em Belo Horizonte, a Primeira Liga discutiu detalhes da Copa Sul-Minas-Rio, que já tem data para começar e calendário definido. Os grupos ainda não foram divulgados, mas o colunista do Diário Catarinense Roberto Alves já teve acesso em primeira mão a uma prévia dos grupos. Com tudo encaminhado, o grupo garante que o campeonato será feito, independentemente do resultado da assembleia geral marcada para a próxima terça-feira na CBF.

Confira outras notícias de futebol

— A assembleia é apenas para as federações. E acredito que a maioria vai aprovar a Copa Sul-Minas-Rio. Engraçado que nunca fizeram assembleia para aprovar a Copa Nordeste, Verde ou a antiga Sul-Minas. Agora inventaram essa — disse o presidente licenciado da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Delfim Pádua Peixoto Filho.

Sul-Minas-Rio terá que passar pela assembleia geral da CBF porque a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj) é contra a criação do novo torneio, principalmente depois que Flamengo e Fluminense deixaram claro que não usarão titulares no Estadual, priorizando a Sul-Minas-Rio. O presidente da Ferj, Rubens Lopes, protocolou na CBF um pedido de veto à criação do torneio e foi esse pedido que fez a entidade máxima do futebol nacional voltar atrás e pedir a assembleia.

— A bronca toda está nos dois times do Rio. Se não tivesse os dois times cariocas já estava tudo definido. Não seria justo a gente não aceitar a entrada deles (Fla e Flu) e a Federação Carioca está esperneando porque tem uma briga entre eles. O problema não é nosso. Fluminense e Flamengo estão firmes conosco e posso garantir que teremos a Copa no ano que vem — garantiu Delfim.

Catarinense deve ter novo formato

Com a definição da Copa Sul-Minas-Rio, o Campeonato Catarinense deverá ter um novo formato. No início de novembro, terá uma reunião na FCF para definir os detalhes.

— Os clubes já queriam mudar o formato no ano passado, mas era proibido por lei. Se não mudar esse ano só poderemos mexer em dois. O pessoal já se manifestou em mudar e diminuir as datas e não acredito que teremos problemas para definir isso — finalizou o presidente.  
DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história