Força total no Avaí e Chapecoense para fugir da zona de rebaixamento Motagem sobre foto de Cristiano Estrela e Divulgação da Chapecoense/

Foto: Motagem sobre foto de Cristiano Estrela e Divulgação da Chapecoense

A rivalidade entre Avaí e Chapecoense aumentou nos últimos anos. E o crescimento do Verdão é o grande motivo dessa concorrência, acirrada também pelo longo jejum de vitórias do Leão. Foram seis jogos sem vencer o rival, até que no primeiro turno do Brasileirão o time azurra conseguiu derrotar a Chapecoense na Ressacada e, na ocasião, sair da zona de rebaixamento. Mais uma vez o Z-4 é motivo para aumentar a rivalidade. O jogo de domingo, às 17h, na Arena Condá, é decisivo. O Leão está à beira da degola e o Verdão precisa de mais duas vitórias para carimbar a permanência na elite.

Leia mais do Avaí
Veja outras notícias sobre a Chapecoense
Confira a tabela da
Série A

Assim, as duas equipes vão com força máxima para a partida. O Avaí mais reforçado, pois tem o retorno de Anderson Lopes, Eduardo Neto e Jéci. Porém, apenas os dois primeiros devem entrar em campo. Recuperando-se de lesão, Marquinhos segue como dúvida.

Com a defesa mais vazada do Campeonato Brasileiro, com 52 gols sofridos em 31 jogos, o técnico Gilson Kleina mexe no setor e indica que Jubal será titular ao lado de Antonio Carlos, esse que cobrou do time mais dedicação na marcação, incluindo o ataque.

– O Antonio está correto. Todos têm que marcar. O erro não é só da defesa, mas de todos que estão em campo e a marcação tem que vir da frente – disse Anderson Lopes.

Verdão sem o capitão e maestro

Capitão da Chapecoense desde a chegada do técnico Guto Ferreira, Cleber Santana desfalca o Verdão do Oeste. Ele recebeu o terceiro cartão amarelo na vitória sobre o Grêmio e está suspenso, assim como o zagueiro Vilson, que foi expulso no final do jogo em Porto Alegre.

A quinta-feira o dia foi de viagem para a Chape, que retornou para casa depois de perder para o River Plate por 3 a 1 pelas quartas da Sul-Americana.

Na defesa, Guto Ferreira deverá escalar o experiente Rafael Lima. No meio, porém, fica uma dúvida. Uma das opções é colocar Elicarlos e adiantar um pouco Gil, para fazer a função de Cleber. Outra solução seria colocar Nenén ou Hyoran para trabalhar ofensivamente com Camilo, que terá grande responsabilidade contra o Leão, afinal, será o principal homem de criação.

Clique na imagem e acesse o Guia Online do Campeonato Brasileiro
Guia Online do Campeonato Brasileiro

DIÁRIO CATARINENSE
 DC Recomenda
 
 Comente essa história