Leandro Vuaden relata em súmula ofensas do presidente do Flu: "Vergonha da arbitragem" Daniel Marenco/Agencia RBS

Foto: Daniel Marenco / Agencia RBS

O jogo entre Fluminense e Palmeiras, ocorrido na noite de quarta-feira, pelas semifinais da Copa do Brasil, terminou em confusão entre a arbitragem e o presidente do clube carioca. O árbitro gaúcho Leandro Pedro Vuaden relatou na súmula a versão dele a respeito dos xingamentos feitos por Peter Siemsen.

Fluminense abre vantagem sobre o Palmeiras na semifinal no Maracanã

Revoltado com a marcação do pênalti para o Palmeiras e com o critério de aplicação dos cartões amarelos, Peter não negou que tenha ofendido o árbitro. O lance em questão ocorreu no segundo tempo, entre Gum e Zé Roberto. No momento da partida, o Fluminense derrotava os paulistas pelo placar de 2 a 0.
 
— Safado, ladrão, pilantra, seu filho da p..., fazedor de resultado, você apita para os ricos. Eu te conheço de outros tempos, você é a vergonha da arbitragem - teria disparado Peter, segundo o documento pós-jogo.

Santos bate o São Paulo e fica perto de final da Copa do Brasil

O árbitro ainda explicou que expulsou o auxiliar Pedro Faria Gama, que reclamou da marcação de um impedimento. Em entrevista após a partida, o presidente Peter Siemsen se mostrou muito irritado e, em alguns momentos, quase chorou. O mandatário do clube das Laranjeiras admitiu ter agredido verbalmente o árbitro e pediu imediatamente a renúncia do presidente da comissão de arbitragem da CBF, Sérgio Correa.

— Eu vi e revi várias vezes o lance do pênalti. Não tem nem cheiro de pênalti. Eu até perdi a cabeça na saída de campo, fui agressivo com o árbitro verbalmente. Outro dia eu vi alguém comentando que quem mais sofre é o técnico. Ele não entende nada do que está falando. São cinco anos da sua vida, sem ganhar um real. Sou um defensor enorme da modernização do futebol brasileiro. Sou a favor do árbitro dar entrevista para justificar o que ele faz. Quando isso não acontece, vou pra casa e penso: “Me operaram, alguém está me operando”. Porque eu tiro o meu tempo do meu trabalho, da minha família e falo. Eu acho que o Sérgio Corrêa deveria renunciar. Se ele não renunciar amanhã (quinta-feira) será uma vergonha. Hoje, você colocou o Fluminense com os brios lá em cima. Mas, você árbitro, prejudicou demais. Mata-mata não pode ter árbitro fraco, ruim. Eu espero que o Sergio renuncie, porque a cota dele, como chefia de arbitragem, acabou — desabafou Peter Siemsen.

Chapecoense perde para o River, mas gol de Maranhão mantém esperança de classificação

Além do lance do pênalti, o dirigente tricolor continuou atacando Leandro Pedro Vuaden sobre outros lances da partida, principalmente nas faltas que Fred levou no primeiro tempo.

- O Fred tomou dez faltas seguidas e nenhum cartão amarelo foi apresentado. O árbitro estava tão confuso no início que deu amarelo para um lateral nosso (Breno Lopes), mas na verdade era para outro (Wellington Silva). E só consertou após ser avisado. Nós estamos cansados e vivendo uma incompetência de arbitragem gravíssima - esbravejou.

Ex-diretor de futebol rebate declaração de R10: "Não deveria falar no Inter"

Para avançar à final da Copa do Brasil e enfrentar São Paulo ou Santos, o Fluminense joga por empate ou derrota, mas a partir de 3 a 2. Caso o Palmeiras devolva o placar de 2 a 1, a vaga na decisão acontece nas penalidades máximas.

*LANCEPRESS

LANCEPRESS
 DC Recomenda
 
 Comente essa história