Presidente da FCF diz que vai processar Eurico Miranda: "É um bobo da corte" Marcos Porto/Agencia RBS

Delfim diz que Eurico Miranda tem ciúmes do futebol catarinense

Foto: Marcos Porto / Agencia RBS

O presidente licenciado da Federação Catarinense de Futebol (FCF), Delfim Pádua Peixoto Filho, rebateu as suspeitas de conspiração levantadas pelo presidente do Vasco, Eurico Miranda, após o empate com a Chapecoense no Maracanã. Chamou o mandatário do time cruz-maltino de "bobo da corte do futebol brasileiro" e diz que vai processá-lo. "Por enquanto", diz ele, só na esfera esportiva.

Castiel: "O que Delfim x Eurico tem a ver com JEC x Figueirense?"
Roberto Alves: "Em primeira mão, a tabela da Copa Sul-Minas-Rio"
Para garantir cargo na CBF, Delfim pede licença da FCF

Após o jogo desta quinta-feira, em entrevista coletiva, Eurico levantou suspeitas de um possível favorecimento aos times catarinenses na luta contra o rebaixamento. Reclamou de lances polêmicos que teriam prejudicado o Vasco contra a Chapecoense. E afirmou que Delfim foi ao vestiário da arbitragem antes do jogo do Avaí contra o Vasco, na Ressacada, fazer pressão aos profissionais.

— Que (o presidente da CBF) mande investigar o que o presidente da Federação Catarinense está fazendo, porque é muita coincidência em relação às equipes catarinenses, que estão diretamente envolvidas neste problema do descenso — disparou o presidente do Vasco.

Para Delfim Pádua Peixoto Filho, a posição do mandatário vascaíno é uma forma de desviar a atenção para o momento difícil que vive o clube:

— Olha, para mim não é novidade este tipo de coisa vinda do Eurico Miranda. É um mentiroso, cheio de rolo. Sempre usou o futebol para fazer rolo. Está afundando o time dele, e quer uma justificativa porque o time dele vai cair. O azar é que a Chapecoense foi a bola da vez. Houve equívoco para os dois lados. Acho que foi justo o resultado, que tira o Vasco praticamente da competição.

Sobre a suposta ida ao vestiário da arbitragem na partida entre Avaí e Vasco, na Ressacada, Delfim nega. Reconhece que costuma fazer uma visita antes dos jogos para cumprimentar os árbitros e garante nunca ter feito pressão. No entanto, diz que não faz isso há muito tempo e que, no dia do jogo mencionado, estava em viagem e não compareceu ao estádio.

— Nós temos árbitros de caráter, árbitros sérios. Eles se equivocam como todo mundo. Só pedimos que a arbitragem preste mais atenção, que tente melhorar, diminua os erros. Mas por estas acusações ele vai responder ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva, porque são mentiras, injúrias. É uma palhaçada. Vai ter que provar o que diz. Ninguém dá moral mais para ele. É o bobo da corte do futebol brasileiro.

Confira outras notícias de futebol
Mais sobre a CBF

O presidente licenciado da FCF cita uma possível inveja de Eurico Miranda ao fato de SC ter quatro times na Série A, enquanto o Rio de Janeiro tem três. Para ele, a contrariedade do presidente vascaíno também passa pela formação da Liga Sul-Minas-Rio, da qual o time carioca não faz parte.

— A bronca dele é essa. Ele acha que fui criador da Liga. Não criei liga nenhuma. Não sou Liga, sou Federação. Incentivei porque é mais uma competição de interesse do futebol catarinense, do futebol do Sul. Agora, ele deve estar com ciúme.

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história