Velocidade de Apodi é uma das armas para a Chapecoense vencer o River Plate Júlio Cordeiro/Agencia RBS

Apodi embarcou nesta segunda-feira de Porto Alegre para Buenos Aires

Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

A vitória contra o Grêmio foi o passaporte da Chapecoense para o confronto desta quarta-feira contra o River Plate, na Argentina, pelas quartas de final da Copa Sul-Americana. A vitória de virada por 3 a 2, no domingo, dá mais confiança ao time para encarar o atual campeão da Taça Libertadores e da Sul-Americana, em um confronto histórico para o clube catarinense.

Suspensos na Série A, Cleber Santana e Vilson serão titulares contra o River
Leia mais sobre a Chapecoense
Confira a tabela da Série A

Com o gol, surgiram nas redes sociais os memes brincando com o nome do lateral-direito e questionando se pode zoar o Palmeiras pela goleada por

5 a 1 e se pode brincar com o Grêmio pelo gol aos 50 minutos do segundo tempo. A resposta sempre é Apodi, no sentido de "ah, pode".

O lateral da Chapecoense vem sendo um dos destaques do time no Campeonato Brasileiro, já marcou quatro gols e é uma das armas para surpreender o River Plate.

De Porto Alegre, onde o time permaneceu após a vitória contra o Grêmio, antes de embarcar para Buenos Aires na noite desta segunda-feira, Apodi concedeu entrevista ao Diário Catarinense e falou sobre as raízes de sua velocidade. Confira abaixo.

ENTREVISTA — "É genética e treinamento", diz Apodi

Todo mundo ficou impressionado com o pique de 70 metros que você deu domingo aos 50 minutos do segundo tempo, em Porto Alegre. O que passou pela tua cabeça no lance?
Eu vi a oportunidade, foi o último fôlego que eu tinha e vi que era uma possibilidade real de quem sabe fazer o gol e ela acabou acontecendo. Dei o melhor de mim e graças a Deus fui feliz, pois recebi um belo passe, pude concluir bem e ajudar a Chapecoense a conquistar os três pontos, o que nos deixa a cinco da zona de rebaixamento.

Essa tua característica de velocidade é genética, treino ou chegou a fazer alguma preparação específica como atletismo?
É genética e treinamento. A parte da velocidade é genética, mas os treinamentos têm contribuído para manter essa performance, esse alto nível. Hoje em dia o futebol é muito rápido e fisicamente se não estiver tão bem você não consegue aguentar o jogo, mas graças a Deus as coisas estão saindo bem.

Teu nome é comentado em todo Brasil, vens fazendo uma bela Série A pela Chapecoense. Tem expectativa de estar figurando numa premiação dos principais laterais do Campeonato Brasileiro?
Estou procurando fazer meu trabalho bem feito dentro da equipe e ajudar meus companheiros da melhor maneira possível. Se no final do ano eu for coroado com a possibilidade de estar entre os melhores do campeonato vou estar muito feliz. Mas o objetivo mesmo é ajudar a equipe da melhor maneira e dar o melhor a cada partida.

E esse confronto contra o River Plate?
É um jogo importantíssimo e a gente vem em um momento bom, vem em uma crescente, então a gente espera manter isso e sair de lá com um bom resultado para que a gente possa decidir em casa.


Clique na imagem e acesse o Guia Online do Campeonato Brasileiro
Guia Online do Campeonato Brasileiro

DIÁRIO CATARINENSE - Chapecó
 DC Recomenda
 
 Comente essa história