Timbó Rex vence o Vasco Patriotas e conquista o Campeonato Brasileiro de Futebol Americano Lucas Correia/Agência RBS

Comemoração do título também incluiu a bandeira de Santa Catarina

Foto: Lucas Correia / Agência RBS

O campo era do Clube Marcílio Dias, a bola oval. A partida era a final do Campeonato Brasileiro de Futebol Americano e teve de tudo: emoção, garra, jogador machucado, chuva, persistência, cinco touchdowns, confusão nos minutos finais e uma torcida enlouquecida na arquibancada. Teve também a consagração do Timbó Rex, que venceu o Vasco da Gama Patriotas por 28 a 9 em um jogo para levantar até quem não conhece o esporte.

— Essa é a segunda final consecutiva, acho que é um trabalho que já vem sendo feito há muito tempo e não é a toa que chegamos novamente na final. Acho que a gente merece isso, trabalhamos muito forte. Sem palavras, estou muito emocionado — disse o presidente do T-Rex, Igor Rick, logo após o fim do jogo.

Invicto no campeonato, o time timboense mostrou logo de cara que queria a revanche contra o Vasco — no ano passado, a equipe sofreu uma virada de 24 a 22 dos cariocas e perdeu a final do Torneio Touchdown. Foi o T-Rex também que abriu o placar com dois touchdowns e uma conversão de dois pontos nos primeiros dois quartos da partida. Os Patriotas conseguiram apenas marcar um field goal e foram para o intervalo com o saldo de 14 a 3 para a equipe catarinense.

No terceiro e quarto tempos da disputa, o Timbó Rex mostrou porque tem a melhor campanha do campeonato brasileiro e foi campeão catarinense neste ano, abrindo uma vantagem de 20 a 3 com outro touchdown. O Vasco até ensaiou uma reação e, em duas jogadas rápidas, diminuiu para 20 a 9. Não adiantou, o T-Rex ampliou de novo com as corridas do running back Clair José e jogadas precisas do quarterback Drew Hill.

A torcida do Rex — que lotava a arquibancada coberta do campo — também incomodou o adversário e não deixava o ataque pensar. Nem a habilidade do QB Lucas Shaw, uma confusão entre os jogadores e a experiência do técnico da Seleção Brasileira de Futebol Americano, Gabriel Braga Mendes, que comandava o Vasco, foram suficientes para desestabilizar o time catarinense. O quarto tempo terminou com mais um touchdown e dois pontos convertidos pelo Timbó: 28 a 9.

— Foi incrível, porque o time que a gente tem agora não é o mesmo que tínhamos quando eu cheguei. Eles trabalharam muito, não só o corpo, mas a mentalidade. Sabendo coisas pequenas sobre o futebol americano, mas que fazem diferenças grandes. Estou bem orgulhoso — afirma Drew Hill, do T-Rex.

Um dos destaques da partida, Clair José também comemorou a vitória:

— Finalmente! Depois do vice-campeonato do ano passado a gente mudou as atitudes do time, decidiu levar mais para o lado profissional, com mais treinos, mais estudo sobre os times e cada jogo era diferente. Eu nunca consegui mais de 10 jardas contra o Vasco, mas hoje eu decidi que era nossa vez e deu certo.

Taça levantada e muita lama

 Timbó Rex vence o Campeonato Brasileiro de Futebol Americano
Foto: Lucas Correia | Jogadores erguem a taça de campeões brasileiros

Embalados pelos gritos de “campeão” da torcida, o time levantou a taça do campeonato brasileiro e comemorou muito no gramado molhado do estádio Hercílio Luz, em Itajaí. Em círculo no centro do campo, eles agradeceram a conquista e ouviram as palavras do técnico Amadeu Felix Salvador, que destacou a dedicação de todos os atletas.

— São quase três anos que a gente vem trabalhando para isso, tem muita coisa por trás e cada vez mais a gente percebe que o que realmente importa são esses jogadores que vem de longe para treinar, enfrentam cinco horas de trânsito para treinar. O que vale a pena realmente é esse coração que eles têm, é essa dedicação. E esse ano foi diferente, a gente se dedicou ainda mais e no próximo vamos ter que nos dedicar muito mais — avalia.

O técnico também elogiou a torcida animada que apoiou o time durante toda a final:

— A gente tem a melhor torcida do Brasil, já teve jogos que a gente ganhou por causa da torcida. Não sei quantas pessoas têm aqui, mas com certeza hoje o jogo foi deles também.

Torcida organizada e muita vibração no estádio

 Timbó Rex vence o Campeonato Brasileiro de Futebol Americano
Foto: Lucas Correia | Torcedora Dirlene Salvador vibrou muito com a partida

Se em campo o Timbó Rex mostrou muita garra. Fora dele a torcida não deixou a desejar. Foram praticamente três horas de muita festa e vibração na arquibancada do Gigantão das Avenidas. Uma das mais animadas era Dirlene Salvador, mãe do treinador Amadeu. Ela conta que os moradores são apaixonados pelo time e há cerca de um mês criaram a Rex Mania — torcida organizada que tem aproximadamente 75 membros.

— Desde que meu filho era jogador eu acompanho os jogos e agora o grupo está aumentando, vieram cinco ônibus para torcer hoje. No início a gente não sabia como fazer, agora aprendemos que quando eles estão no ataque ficamos em silêncio e quando estão na defesa fazemos barulho — explica.

Tatiane Cardoso e Ana Paula Hahnebach também fazem parte da torcida organizada do Rex. As amigas dizem que começaram a assistir as partidas por acaso e hoje estão apaixonadas pelo esporte.

— Fomos num domingo que não tinha nada para fazer e agora vemos todos os jogos — contam.

Mãe do jogador Leonardo Boaventura, Gládis Longo Boaventura estava nervosa na arquibancada. Com uma faixa do T-Rex no braço, ela disse que desde sexta-feira não consegue conter o nervosismo para a partida.

— Fui eu que levei e insisti para o Leonardo ir ver o treino. Pedi para ele se não dava vontade de entrar em campo e ele me falou que era isso que queria fazer — comenta.

Gládis afirma ainda que a equipe é muito unida, apoia causas sociais e treina quatro dias por semana.

— Eles treinam com chuva ou sol, vivem isso e a gente vem torcer. Eu não perco um jogo, eles merecem essa vitória.

O SOL DIÁRIO
 Veja também
 
 Comente essa história