Chapecoense vence o Avaí em Tubarão e assume a liderança isolada do Catarinense Marco Favero/Agencia RBS

Cleber Santana vibra com companheiros da Chapecoense após marcar gol de pênalti

Foto: Marco Favero / Agencia RBS

O clima era todo favorável para o Avaí . Mesmo longe da Ressacada, o time azurra não teve o que reclamar da recepção no Estádio Aníbal Torres Costa, em Tubarão. A torcida compareceu em bom número, a equipe teve ótimas chances para abrir o placar e tinha até uma estátua de leão no campo _ que também é o mascote do Hercílio Luz, dono do estádio.

Veja como foi a partida no lance a lance
Mais notícias do
Avaí
Tudo sobre a Chapecoense
Confira a tabela do Campeonato Catarinense
Castiel: A lógica dos pontos corridos ajuda os mais qualificados. E a Chape é melhor que o Avaí

A única coisa que não funcionou foi o ataque. Romulo até marcou, mas era tarde demais. As duas melhores oportunidades antes de sair o primeiro gol foram do time de Florianópolis, mas as chances avaianas pararam nas mãos de Danilo. A Chapecoense começou pior, mas com um time mais experiente e entrosado aproveitou as falhas avaianas e venceu o jogo por 2 a 1, mantendo a liderança e agora abrindo três pontos de vantagem para o Criciúma, segundo colocado.

O Verdão do Oeste foi mais consistente. A equipe do técnico Guto Ferreira mostrou calma para administrar o ímpeto azurra. Mas a Chape precisou de um empurrãozinho para entrar no jogo. Aos 44 minutos do primeiro tempo, Ananias foi derrubado na área e o árbitro Leandro Perrone marcou pênalti. Desta vez não foi Bruno Rangel que cobrou o pênalti _ como foi contra o Guarani de Palhoça na última rodada, quando o centroavante perdeu duas penalidades _, quem cobrou foi Cleber Santana e o capitão não desperdiçou, cobrando forte no meio abriu o placar.



O gol trouxe tranquilidade para o Verdão que administrava o jogo no segundo tempo quando Gil encontrou Bruno Rangel na área. O camisa 9 livre de marcação ampliou.

A juventude tem fôlego, mas faltou criatividade

A sequência de jogos no início do ano é cruel com atletas em começo de temporada. Isso foi visível no segundo tempo quando a Chapecoense cansou. O Leão manteve o ritmo. Recheado de garotos, o time mostrou fôlego. Mas faltou criatividade. Diego Jardel fez uma partida muito diferente das últimas. Apagado, não criou boas oportunidades. Sozinho, Romulo foi o melhor atleta avaiano. Ele buscou o jogo e foi o autor do gol azurra.



FICHA TÉCNICA

AVAÍ (1)

Renan; Renato, Gabriel, André Santos, Vitor Costa; Braga (Lucas Sá), Caio César, Renato Júnior (Rafinha), Diego Jardel; Romulo e Wilker (Tauã)

Técnico: Raul Cabral

CHAPECOENSE (2)

Danilo; Gil, Thiego, Rafael Lima, Dener; Josimar, Cleber Santana, Lucas Gomes (Nenén); Maranhão (Silvinho), Ananias e Bruno Rangel (Kempes)

Técnico: Guto Ferreira

Gols: Cleber Santana (C), aos 45 minutos do 1º tempo. Bruno Rangel (C), aos 12, e Romulo (A), aos 32 minutos 2º tempo
Cartões amarelos: Caio César e Renato Júnior (A); Cleber Santana, Gil, Maranhão e Bruno Rangel (C)
Arbitragem: Leandro Messina Perrone, auxiliado por Carlos Berkenbrock e Thiago Americano Labes
Local: Estádio Aníbal Torres Costa, em Tubarão
Público total: 2.291
Renda: R$ 45.240,00

DIÁRIO CATARINENSE
 Veja também
 
 Comente essa história