Hudson Coutinho deixa a função de treinador e volta a ser auxiliar técnico do Figueirense Luiz Henrique/FFC

Foto: Luiz Henrique / FFC

Hudson Coutinho não será mais o técnico do Figueirense, mas ele continua no clube. Com quase 15 anos de história no Alvinegro, o agora ex-treinador volta a ser auxiliar técnico do time. Ele ainda comanda a equipe diante do Inter de Lages, quarta-feira às 19h30min, no Estádio Orlando Scarpelli, mas agora a diretoria trabalha para encontrar um novo comandante.

Veja outras matérias do Figueirense
Confira a tabela do Campeonato Catarinense

As suspeitas de que Coutinho tinha deixado o cargo de técnico do Furacão começaram no final de segunda-feira e foram confirmadas nesta manhã de terça pelo superintendente de Esportes do clube, Cleber Giglio.

– Com o time que o Figueirense tem não é para estar nessa condição (na tabela do Estadual). E decidimos pela volta do Hudson a origem dele. O clube é muito grato e por isso estamos tendo esse gesto dele continuar. Ele teve êxito no ano passado, mas o futebol é feito de resultados. Todos entenderam que o caminho para procurar uma nova condição era esse. Isso sem tirar as responsabilidades da diretoria e dos atletas, que tem que performar mais e ter resultado dentro de campo. O Hudson volta a ser auxiliar e vai trabalhar com o Tuca (também auxiliar) e com o novo treinador – explicou Giglio.

Ainda segundo o dirigente não existe uma definição sobre o novo técnico e que agora que o clube comunicou a decisão a Hudson que a diretoria irá atrás de um treinador. Vinícius Eutrópio, que conquistou o acesso à Série A em 2013 e o título do Catarinense em 2014 é um dos nomes de interesse.

– Pode ser o Eutrópio como qualquer outro treinador que entendemos que possa ser técnico do clube. O Eutrópio é um grande treinador, campeão Estadual com a gente. A preocupação primeira era resolver a nossa situação interna e agora vamos buscar uma pessoa – disse o cartola.

Coutinho recebe com tranquilidade a notícia

Hudson Coutinho assumiu o comando técnico do time logo após a demissão de René Simões. Foram 20 partidas, com seis vitórias, seis empates e oito derrotas. Um aproveitamento de 40%. Seu maior feito foi ter livrado o clube do rebaixamento na Série A na última rodada, ao vencer o Fluminense. Agora novamente auxiliar, Coutinho diz que com tranquilidade a situação.

– Tivemos uma conversa no final do dia e com muita tranquilidade e transparência, como sempre foi a nossa maneira de trabalhar. E tranquilo aceitei. Sou Figueirense e estou há muito tempo aqui e realmente a gente tem que continuar trabalhando para reverter essa situação – disse o agora ex-treinador.

Coutinho lamenta a falta de tempo na pré-temporada para ajustar a equipe e também as lesões que atrapalharam seus planos.

– O futebol é pautado pelo resultado. Estou muito feliz principalmente pelo o que fiz o ano passado e triste por esse início de campeonato e espera resultados positivos, mas o futebol é assim. A minha felicidade é lá atrás quando o Figueira continuou na Série A e eu tive participação nisso – completou.  



Clique na imagem abaixo e navegue pelo especial.

>


 Veja também
 
 Comente essa história