FCF aposta na experiência na decisão entre Chapecoense e JEC Motagem sobre fotos de Cristiano Estrela e Marco Favero/

Foto: Motagem sobre fotos de Cristiano Estrela e Marco Favero

A Federação Catarinense de Futebol (FCF) optou pelos mais experientes nas finais do Estadual. Héber Roberto Lopes e Sandro Meira Ricci serão os árbitros dos jogos entre Chapecoense e JEC. Ontem, na sede da FCF, foi realizado o sorteio que definiu quem apitará em Joinville, no próximo domingo, e em Chapecó, no dia 8. Lopes comandará a partida em Joinville, auxiliado por Neuza Inês Back e Helton Nunes. Ricci será o árbitro em Chapecó, na Arena Condá, auxiliado por Nadine Schramm Câmara Bastos e Kléber Lúcio Gil.

Saiba mais sobre a Chapecoense 
Confira outras notícias sobre o 
Joinville 
Veja a tabela do Campeonato Catarinense

Ambos são árbitros Fifa e foram contratados pela Federação para trazer à arbitragem catarinense mais experiência. Héber Roberto Lopes está há mais tempo em Santa Catarina. Desde 2013, ele apita pela FCF e essa será sua terceira decisão no Estadual. No ano passado, devido ao bom campeonato de Célio Amorim, ele acabou ficando de fora da escala das finais.

Atualmente, Lopes é considerado um dos árbitros de maior respeito no Brasil e hoje – no Equador, na partida entre Independiente del Valle e River Plate, pelas oitavas de final da Libertadores –, ele comanda sua partida de número 99 na América do Sul.

Conhecido pelo seu tom enérgico, Héber Roberto Lopes apitou 12 partidas no Catarinense de 2016, o árbitro que mais atuou na temporada. Foram 50 cartões amarelos e quatro vermelhos. A expectativa é que ele mantenha a partida sobre controle em Joinville, sem medo de usar os cartões amarelos.

Neste Estadual, ele apitou duas vezes jogos do JEC, com uma vitória tricolor e um empate. Do Verdão também foram duas partidas apitadas, com dois triunfos da equipe do Oeste.

Árbitro de copa do mundo apita em Chapecó

Sandro Meira Ricci chegou em Santa Catarina na temporada passada e comandou o último jogo da decisão do Catarinense de 2015 entre Joinville e Figueirense. Nesta temporada, ele apitou 10 jogos no Estadual. Sem nenhuma grande polêmica ele distribuiu 46 cartões amarelos e dois vermelhos. Foi ele o responsável por comandar o último encontro entre JEC e Chape, na oitava rodada do returno, na Arena Condá, com vitória do Tricolor do Norte por 3 a 1. Além desse jogo, ele também apitou mais dois do Joinville no Estadual, outra vitória e uma derrota.

Do Verdão, ele comandou mais três partidas, todas vencidas pela Chapecoense.

Ricci apitará a decisão do Catarinense com conhecimento renovado, afinal ele está em Miami, nos Estados Unidos, em um seminário da Fifa com os árbitros americanos candidatos à Copa do Mundo de 2018. Sandro Meira Ricci foi o representante brasileiro no torneio de 2014 e é um forte nome para estar na Rússia.

Foto: Divulgação / Divulgação

"Nomes impõem respeito"

Osvaldo Meira Júnior
Durante 15 anos foi árbitro da CBF e da FCF

"A Federação Catarinense de Futebol (FCF) acerta em colocar os mais experientes nas finais. Os dois são da Fifa e impõem respeito nos atletas, cada um a sua maneira. Para mim, Héber Roberto Lopes é o melhor árbitro brasileiro no momento e tem um jeito de apitar que é só dele. Ele mostra sua marca assim que entra em campo, com uma postura firme.

Sandro Meira Ricci foi o árbitro brasileiro na Copa do Mundo de 2014 e conduz a partida de forma mais elegante. Para mim, o único erro da FCF é já ter anunciado quem seria o árbitro do jogo decisivo, no dia 8 de maio. Héber pode fazer uma grande arbitragem no próximo domingo e poderia naturalmente assim também comandar o jogo em Chapecó, afinal, ele foi o melhor árbitro disparado do Campeonato Catarinense. Mas Ricci também é um ótimo nome e não deverá ter problemas na final". 

 Veja também
 
 Comente essa história