Chapecoense vence JEC e amplia vantagem nas finais do Catarinense Cristiano Estrela/Agencia RBS

Verdão do Oeste superou Tricolor do Norte, por 1 a 0, na Arena Joinville

Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Se a Chapecoense entrou no gramado da Arena Joinville com vantagem pelo regulamento, após os 90 minutos da primeira partida da final saiu com a mão na taça. Ao vencer por 1 a 0 o JEC, neste domingo, com gol de Ananias, o time de Guto Ferreira agora pode até perder, por um gol de diferença na volta que será campeão. À equipe de Hemerson Maria, para levantar a taça, resta superar o adversário, em plena Arena Condá, domingo que vem, por dois gols de diferença.

Veja como foi o minuto a minuto da partida
Castiel: Chape instala um dos maiores favoritismos em finais de SC
Personagem: Guto Ferreira reinventou a Chapecoense na final
Personagem: Agenor é o melhor do JEC e evita derrota por maior placar

Um exército de volantes e meias com um atacante isolado, Kempes. Assim veio o técnico Guto Ferreira para o primeiro confronto, visivelmente preocupado em manter sua vantagem.

E, talvez, pelo excesso de zelo, tenha deixado de sair na frente do placar logo a três minutos. Bruno Aguiar não interceptou chutão do goleiro Danilo, e a bola sobrou para Lucas Gomes, sozinho, frente a frente com Agenor. Era só deslocar o goleiro e marcar. O meia/atacante não conseguiu fazer o que seria natural para o goleador Bruno Rangel, preterido na escalação. Agenor aproveitou a falta de precisão e evitou o gol.

O JEC acusou o golpe. Levou 17 minutos para conseguir um ataque perigoso e tentar assustar o Verdão e motivar sua torcida. E o ataque, para variar, aconteceu com um zagueiro tomando a iniciativa, já que dificilmente o ataque do Tricolor do Norte consegue incomodar. Funcionando de ala, Aguiar cruzou e Danilo teve dificuldade para afastar a bola de soco.

Héber Roberto Lopes faz arbitragem segura do primeiro jogo da final

Foram dois lances isolados em um contexto de um jogo muito arrastado na etapa inicial. Lento como é previsto numa configuração tática de dois times que tinham seis volantes em campo. Tirando os dois goleiros, quase um terço dos atletas eram homens de marcação e/ou primeiro combate.

No mais, apenas uma cobrança de escanteio, de Cleber Santana, aos 32 minutos, perigosa e que novamente não encontrou um especialista para concluir ao gol. E uma investida do JEC, aos 43 minutos, pela ala, com Edson Ratinho. Ele invadiu a área mas foi interceptado pela zaga na hora da conclusão.

A partida, com uma chance de gol apenas nos 45 minutos iniciais, obedeceu à risca a proposta do time visitante.

No segundo tempo, a única mudança foi no JEC: Diones entrou na vaga de Naldo, que sentiu desconforto muscular. Também mudou, no time da casa, a postura. A equipe, que tinha posse de bola mas não agredia, passou a jogar mais no campo adversário nos 10 minutos iniciais. Porém, as conclusões foram poucas, apenas um chute de Ratinho que Danilo falhou, mas a bola foi para escanteio. E Diones, que invadiu a área porém chutou sem direção.

Leia mais sobre o JEC

Veja outra notícias da Chapecoense 

Uma má notícia para Hemerson Maria foram os desfalques entre os volantes. Já que Anselmo levou o terceiro amarelo. Ou seja, em Chapecó, a dupla de volantes que carregou o time no segundo turno está desfeita.

Aos 12 minutos, saiu Maranhão e entrou Ananias na Chape. Guto Ferreira tentou dar mais ligação nas trocas de passes em velocidade.

O jogo seguiu sem muitas alternativas para os ataques, Aos 23 minutos, a Chapecoense conseguiu um lance de perigo com Cleber Santana. Uma cobrança de falta da intermediária obrigou ao goleiro Agenor fazer uma difícil defesa. E, aos 26 minutos, num escanteio cobrado por Pereira, Bruno Aguiar cabeceou sozinho, com perigo, mas para a linha de fundo.

Aos 28 minutos, modificações em ambos os ataques: Bruno Rangel entrou na vaga de Kempes e Adriano na vaga de Felipe Alves.

Aos 37 minutos, veio o gol que deu a vitória ao Verdão. E o lance foi reflexo das mudanças no time. Já que, após cruzamento da direita, de Lucas Gomes, o baixinho Ananias conseguiu cabecear e marcar.

Lucas Gomes, aos 39 minutos, quase ampliou, invadiu a área e desferiu forte chute, com grande defesa de Agenor.

Na arbitragem, tudo muito tranquilo para Heber Roberto Lopes. Nenhum lance polêmico e a postura do árbitro excelente, tanto do ponto de vista técnico quanto disciplinar

FICHA TÉCNICA

JOINVILLE 0

Agenor; Edson Ratinho, Bruno Aguiar, Rafael Donato (Victor Oliveira) e Diego; Kadu, Naldo (Diones), Anselmo (A) e Pereira (A); Felipe Alves (Adriano) e Juninho. Técnico: Hemerson Maria.

CHAPECOENSE 1

Danilo: Gimenez, Rafeal Lima, Thiego e Dener; Josimar, Gil, Cleber Santana e Lucas Gomes (Hyoran); Kempes (Bruno Rangel) e Maranhão (Ananias). Técnico: Guto Ferreira.

Arbitragem: Héber Roberto Lopes, auxiliado por Neuza Ines Back e Helton Nunes.

Local: Arena Joinville

 Veja também
 
 Comente essa história