Dá para dizer que, em comparação com o início da temporada, a reta final dos Brasileiros, séries A e B, tem um cenário até positivo para Santa Catarina.

Claro, torcedores do Figueirense e do Joinville deram uma respirada mais a fundo com esta assertiva.

Mas apenas estou olhando o todo. Afinal, houve momento em que Chapecoense e Figueirense estiveram perto do Z-4 e, na segunda divisão, Tigre, Avaí e JEC lidando com a parte de baixo da tabela.

Hoje, não. Temos a Chapecoense tranquila na elite e tentando fazer história na Copa do Brasil; e Avaí (com mais chances) e Criciúma lutando pelo acesso.

Sobrou o Figueirense complicado na luta contra o rebaixamento e o JEC desesperado, agarrado a um fio de esperança.

Fazendo um pequeno e sintético exercício de otimismo, podemos dizer que um ótimo cenário conteria a subida de um time, Avaí ou Criciúma, e a permanência do Figueira e JEC. Teríamos então Chape, Figueira e Avaí ou Criciúma na A e Avaí ou Criciúma e JEC na B.

Mas dá para pensar em cenário melhor, embora improvável. Por exemplo, com o Avaí ajudando o Criciúma e o Tigre se ajudando. O Leão detona Náutico e Vasco, que passarão por seu caminho. E o Criciúma supera Atlético-GO e Vasco, também por jogar. Pronto, pode-se passar a imaginar ambos lutando pelo G-4. E, aí, o sonho é alto: quatro na Série A, claro com o Figueira permanecendo.

Enfim, elevo meu raciocínio somente no copo meio cheio. Com este olhar vamos para a rodada decisiva de sábado e domingo para Figueirense, Chapecoense, JEC e Tigre, já que o Avaí fez sua parte.

 Veja também
 
 Comente essa história