Kanoa Igarashi vence o Hang Loose Pro Contest na Praia da Joaquina Cristiano Estrela/Agência RBS

Kanoa (de vermelho) comemora o título ao lado do brasileiro Jadson André

Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Hang Loose Pro Contest 2016 2016, na Praia da Joaquina, em Florianópolis, chegou ao final neste domingo. O americano Kanoa Igarashi, de 19 anos, venceu o campeonato ao bater o brasileiro Jadson André na final, que terminou pouco mais de 11h30 da manhã.

O mar continuou pequeno na bateria final, forçando os surfistas a tentarem as notas em ondas baixas. Igarashi conseguiu aproveitar uma das raras ondas maiores e com duas batidas e um aero reverso, não deu chance para o brasileiro.

— Sabia que ia ser difícil, mas acredito que ali no meio da bateria eu cometi um erro que custou a vitória. Remei numa onda que não consegui entrar e na onda de trás ele fez 8,17. Se aquela onda tivesse sido minha talvez a história da bateria teria sido outra. Queria muito ter vencido, mas o Kanoa está de parabéns — comentou após a disputa.

Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

O título garantiu a Kanoa 6 mil pontos no ranking, a liderança do WQS e a vaga na elite mundial no ano que vem, além de 25 mil dólares. Após vencer a competição, o norte-americano mandou um recado em português para o público da praia – ele aprendeu o idioma com a namorada portuguesa.

— Muito obrigado pela torcida, Florianópolis! Eu adorei esse lugar. Agora é seguir no Havaí. Issa — brincou o atleta.

Mesmo com a derrota, o público aplaudiu e comemorou bastante com Jadson. O potiguar brincou que se fosse pela torcida, "teria ganhado um 10 certo!". A areia da Joaquina não ficou tão lotada como no sábado, quando Medina e Mineirinho caíram. O céu ficou entre nuvens, e o vento não deu trégua. Mas o transtorno do trânsito teve igual.

Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Os surfistas começaram a cair na água às 9h30min para a primeira semifinal do dia entre dois representantes da nova geração americana: Kanoa Igarashi e Griffin Colapinto. Apelidado de jaspion americano nas areias da Joaca, "o japonês dos EUA" garantiu a vaga na final. Na segunda semifinal do dia, dois brasileiros: de Natal, Jadson André e de São Paulo, Deivid Silva.

Mesmo doente, ele chegou à final

Jadson, que surfou muito bem o campeonato inteiro — ele eliminou Mineirinho no sábado —, levou a melhor em uma bateria muito disputada: 12,83 pontos contra 11,17 contra Deivid. O atleta confessa que chegou "meio desacreditado" no Hang Loose, afinal ainda se recuperava de uma gripe.

— Eu não tenho do q reclamar, cheguei no campeonato muito doente. Passei a primeira bateria por conta de uma manobra que nem é do meu repertório! Mas estou súper contente, esse ano foi bem difícil por conta das minhas lesões, então eu não treinei ano inteiro. Mas o foco agora é ir para o WCT – comemora o surfista, que subiu três posições no WQS (está em 22º) e agora vai disputar os pontos do Havaí.

Foto: Cristiano Estrela / Agência RBS

Deivid, brasileiro que ficou na terceira posição, também tentará vaga na elite do surf no fim do ano em Pipeline. Ele tem mais chances que Jadson, está em 11º, e comentou o resultado logo após a semifinal:

— Hoje a condição não estava boa, mas não estava pra todo mundo. Acabei dando azar de não ter vindo uma onda boa pra mim. Mas é um campeonato muito importante e consegui pontos importantes para o ranking.

Confira como foram as semis e as finais na Joaquina:

Leia mais:

Sem Medina e Mineirinho, Brasil garante surfista na final do Hang Loose Pro Contest na Joaquina

Saiba como funciona a transmissão do Hang Loose Pro Contest

 Veja também
 
 Comente essa história