Foto: Caio Marcelo / Especial


No dia seguinte à vitória nos pênaltis sobre o Altos – PI, que garantiu o Criciúma na próxima fase da Copa do Brasil, Deivid não tem tempo para descanso. Logo mais, às 21h30min, ele estará no comando do time reserva, que recebe o Internacional no Heriberto Hülse, pela Primeira Liga. O Tigre cumpre tabela e o Inter já está classificado, mas a partida é mais uma chance de observar o elenco que o treinador tem à disposição.

Até o momento, Deivid tem mantido basicamente o mesmo time no Catarinense e na Copa do Brasil, com exceção às saídas de Alex Maranhão e Pimentinha para dar lugar a João Henrique e Caio Rangel. Os dois reservas, quando entram, têm dado conta do recado, mas o técnico acredita que os atuais titulares estão em um momento melhor. Mesmo assim, ninguém tem lugar cativo no time, e Deivid pode trocar as peças assim que necessário.

— Nós temos um jogo contra o Inter, depois mais um jogo pelo Estadual, temos que descansar esses atletas que jogaram, porque a gente cobra muito no treinamento intensidade, dinâmica, então a gente exige muito dele. Eu sempre falo que eles têm que se alimentar, tem que descansar, para que eles possam suportar uma partida dessas. O teu emocional atrapalha muito também no seu rendimento. Não somente a parte física, eles estão muito bem preparados fisicamente, então temos que ter tranquilidade, pensar, temos um jogo que preciso me concentrar — comentou o treinador.

João Henrique sentiu um desconforto e deixou a partida contra o Altos, assim como o goleiro Luiz. Adalgiso Pitbull chegou a ser poupado de alguns treinamentos e não jogos na última rodada do Catarinense, cuidados extras para evitar lesões no elenco. Diante da carga de jogos e treinamento, Deivid pode perder alguma peça importante ao longo das competições, e por isso mantém os olhos abertos para aproveitar todos os talentos que tem à disposição.

— Como eu sempre falei, um time de futebol é igual casa, tem que ter sempre manutenção, é como a gente, tem que ajustar para ter a excelência, chegar ao objetivo maior, tem que errar o mínimo possível — comentou.

Com o apoio da torcida

A classificação estava garantida diante do Altos, com uma vitória parcial do Tigre por 1 a 0, até que tudo mudou. O time piauiense empatou, o Tigre passou à frente de novo e no último lance, já nos acréscimos, o Jacaré do Surubi igualou o placar. O torcedor carvoeiro mal teve tempo para ficar chateado, e para empurrar o time, foi em peso para trás da goleira onde os pênaltis foram cobrados. Deivid gostou do que viu:

— Eu lembro muito bem quando eu vinha jogar aqui, esse estádio era maravilhoso, era cheio, e era uma pressão, e eu quero resgatar isso, e como vai resgatar, ganhando. Eu passo isso pra eles, vamos jogar com estádio cheio, mas como, ganhando os jogos, passando a confiança para o torcedor. 

Leia mais:

Tigre vence Altos nos pênaltis e avança na Copa do Brasil 

Série B: Criciúma e Figueirense duelam na 7ª rodada; veja a tabela

Criciúma apresenta o lateral-direito Diogo Mateus nesta segunda-feira

 Veja também
 
 Comente essa história