UFC descarta Jon Jones em evento principal no retorno ao MMA Steve Marcus/AFP

Foto: Steve Marcus / AFP

A preocupação do UFC em evitar quedas de lutas importantes em eventos de pay per view fez Dana White tomar uma decisão surpreendente: quando Jon Jones retornar ao octógono, não será em uma luta principal.

— Se Jones lutar, vai ser o evento co-principal de qualquer forma. Eu colocaria qualquer um à frente de Jon Jones para fazer o evento principal. Não tenho fé agora que a luta vá acontecer. Não quero gastar milhões e milhões de dólares promovendo uma luta que não aconteça — disse Dana White.

Leia mais:

UFC aponta revanche entre Cormier e Jon Jones, mas deixa Manuwa em alerta
Manuwa se compara a Mike Tyson e torce para Jones "não furar a fila"
GSP ironiza vantagem de tamanho de Bisping: "O barulho será maior"

O último caso em Jones não pode lutar foi no histórico UFC 200, em julho do ano passado, quando ele enfrentaria o mesmo Daniel Cormier. Jones foi suspenso por doping dois dias antes do card, e o UFC precisou se apressar para escalar Anderson Silva em uma luta contra Cormier que não valeu cinturão — o evento principal do UFC 200 acabou por ser a vitória de Amanda Nunes sobre Miesha Tate na disputa de cinturão do peso galo feminino.

A suspensão de Jon Jones acaba em julho. A ideia do UFC é marcar sua revanche com Cormier para o UFC 214, dia 29 de julho, na Califórnia. Mas a organização ainda procuraria uma luta principal.

O Ultimate também procura um evento principal para o UFC 213, dia 8 de julho, em Las Vegas. Segundo Dana White, o duelo já marcado entre Cody Garbrandt e T.J. Dillashaw, pelo título dos galos, será a luta co-principal.

 DC Recomenda
 
 Comente essa história