Conversei nesta sexta-feira com dirigentes da Chapecoense – vou preservar as fontes – que reiteram e sustentam que não receberam e-mail algum com a punição do zagueiro Luiz Otávio. A Chape fez uma nova varredura no seu sistema e garante que não recebeu nada. Os dirigentes dizem que o clube foi vítima da própria desorganização da Conmebol, e suas idas e vindas de punições e competições.

Entre as novidades, está a afirmativa de que o clube recebeu da Sul-americana um documento anterior à decisão da Recopa, na Colômbia, garantindo que Rossi e Luiz Otávio cumpririam a automática pela expulsão no Uruguai na própria Libertadores, no jogo seguinte, diante do Lanús. O que não ocorreu. Os dois cumpriram na Recopa. Além disso, a Chapecoense reclama muito o fato de ter sido surpreendida em cima da hora das partidas da Colômbia e da Argentina por alguns emissários da Confederação com os avisos sobre as suspensões, gerando um clima de instabilidade no grupo para os jogos decisivos diante do Atlético Nacional e do Lanús.

Enfim, mesmo com tudo isto, não há otimismo em relação à decisão que vai ser tomada pela Conmebol. O que há internamente é a satisfação de ter conseguido, com um time montado em quatro meses, fazer frente a grandes forças do futebol do continente.

Foto: Reprodução / Reprodução
Foto: Reprodução / Reprodução

Leia mais comentários de Rodrigo Faraco

CBF e FCF afirmam repasse e-mail sobre suspensão de zagueiro. Chapecoense nega recebimento
Lanús aciona Conmebol para reverter derrota para a Chapecoense pela Libertadores

 DC Recomenda
 
 Comente essa história