Rodrigo Faraco: uma decisão quente na Arena Condá Cristiano Estrela/Agencia RBS

Foto: Cristiano Estrela / Agencia RBS

Esperava um primeiro jogo mais jogado e menos discutido, empurrado e conturbado. Mas agora espero um jogo mais lutado mesmo. Até pelo reflexo do ambiente da primeira partida. Avaí e Chapecoense tendem a seguir nesta linha.

A atitude da Chape, com os pedidos feitos na TJD, acirram ainda mais os ânimos. Só que desta vez – como se não fosse obrigação na primeira partida – o Avaí vai precisar de jogo. Jogar bola e produzir dois gols de vantagem para levar o título. Quanto mais o jogo for enrolado, mais interessa à Chapecoense. 

Nathan ou João Pedro

Na Chapecoense a dúvida está no meio de campo. Com a suspensão do volante Andrei Girotto, o técnico Vágner Mancini precisa achar uma solução. Os nomes que aparecem são os do zagueiro Nathan e do lateral João Pedro. A decisão passa pela estratégia que o técnico da Chape pretende adotar. Mais fechado, pra defender o resultado conseguido até agora? Daí vai de Nathan. Pra jogar, independentemente das vantagens e do resultado do primeiro jogo? Daí vai de João Pedro no meio e Apodi na lateral.

Acredito que a melhor opção seja a segunda. Até porque o time jogou assim boa parte do returno, quando cresceu em aproveitamento e conseguiu a classificação à decisão. Por outro lado, Mancini tem insistido em colocar Nathan improvisado/inventado como volante. Mesmo que ele não tenha a menor noção de posicionamento para a função. Seria um equívoco. 

Leia mais comentários de Rodrigo Faraco

 Veja também
 
 Comente essa história