Confirmada em disputa por cinturão, Cris Cyborg faz crítica ao UFC Reprodução/Reprodução

Cyborg fez duas lutas em peso casado no UFC

Foto: Reprodução / Reprodução

Mais de um ano depois de sua estreia no UFC, Cris Cyborg finalmente vai ter a chance de disputar um cinturão. A organização optou por destituir Germaine de Randamie da condição de campeã peso pena e marcou o duelo de Cyborg com Megan Anderson para o UFC 214.

Mesmo com a chance de ser campeã da maior organização de MMA do mundo, a brasileira não poupou críticas ao UFC. Pelo Twitter, a lutadora valorizou o antigo empregador, o Invicta FC.

Leia mais:

UFC confirma disputa de Cris Cyborg pelo cinturão feminino dos penas
Wanderlei Silva vê com bons olhos revanche com Liddell: "Adoraria"
Holly Holm fatura R$ 164 mil após vitória sobre Bethe Correia

"O fato de eu lutar com a Megan Anderson em 40 dias pelo cinturão do UFC prova que Shannon Knapp e o Invicta FC sempre coloca as lutadoras em primeiro lugar", escreveu, no Twitter.

Cyborg foi campeã em atividade do Invicta de julho de 2013 até sua ida para o UFC, no primeiro semestre do ano passado. Megan Anderson conquistou o cinturão interino do Invicta em janeiro e foi promovida a campeã linear com a saída definitiva da brasileira.

O UFC abriu no início deste ano a categoria peso pena feminino, mas Cyborg não teve condições de lutar no UFC 208 por problemas de saúde. Por isso, a organização fez a disputa do cinturão inaugural entre Germaine de Randamie e Holly Holm.

A holandesa levou a melhor e ficou com o cinturão, mas depois se recusou a enfrentar Cyborg — alegando envolvimento da brasileira com casos de doping. Por conta da inatividade, o UFC optou por tirar o cinturão da europeia e abrir uma nova disputa.

 DC Recomenda
 
 Comente essa história