Hamilton quer fim do efeito "montanha-russa' na Mercedes   Clive Mason / Getty Images/AFP/Getty Images/AFP

Foto: Clive Mason / Getty Images/AFP / Getty Images/AFP

Lewis Hamilton tem esperança de que a rápida evolução da Mercedes, de Mônaco para Montreal, possa ser o sinal de mais melhorias que ainda virão.

O inglês foi para o Canadá com um déficit de 25 pontos para o líder do campeonato, Sebastian Vettel, mas com sua vitória a diferença caiu para 12 pontos.

Leia mais
Após teste, Renault elogia ritmo de Robert Kubica
Verstappen se mostra preocupado com perspectivas para 2018
Hamilton garante dobradinha em corrida tumultuada no Canadá

Agora, Hamilton espera que o processo de aprendizado rápido possa ser aplicado para as corridas que virão:

— Obviamente, tivemos um ótimo final de semana (no Canadá), mas não posso prever o que vai acontecer.

— Nós iremos para outra corrida – Baku é bem suave, parecida com a Rússia. Para nós, deixar o carro onde precisamos todos os fins de semana é um desafio. Mas acho que aprendemos muito com Mônaco, acho que aprendemos muito (no Canadá) — prosseguiu.

— Se tivermos a mesma diligência das últimas duas semanas após cada corrida, mesmo quando ganhamos, tenho certeza de que podemos continuar na briga, e talvez não pareça um "passeio de montanha-russa", com subidas e descidas — acrescentou Hamilton.

O Grande Prêmio do Azerbaijão de Fórmula-1 acontece nesse domingo (25) em Baku. 

* Lancepress

 DC Recomenda
 
 Comente essa história