A polêmica vídeo-arbitragem, utilizada pela primeira vez numa grande competição de seleções, foi defendida nesta segunda-feira pelo presidente da Fifa, Gianni Infantino, que chamou a Copa das Confederações de "torneio histórico", segundo nota divulgada pela entidade.

"Estou muito feliz com o VAR (sigla em inglês para vídeo-arbitragem). Vimos como o respaldo do vídeo ajudou aos árbitros a tomarem as decisões corretas. É para isso que existe o VAR", declarou Infantino, após assistir do estádio de Sochi, na Rússia, à vitória da Alemanha sobre a Austrália (3-2).

"Os testes com o VAR durante esta Copa das Confederações nos estão ajudando a melhorar os processos e afinar a comunicação. O que os torcedores esperam há tantos anos está acontecendo. Este é um torneio histórico. A arbitragem com assistência do vídeo é o futuro do futebol moderno", completou.

Ao fim da primeira rodada da fase de grupos, a vídeo-arbitragem já foi usada em cinco ocasiões, todas em situações de gol: quatro relacionadas com impedimentos e outra com uma mão na bola.

O uso da tecnologia, contudo, não é unanimidade. O chileno Marcelo Díaz, que viu sua seleção ser 'vítima' do VAR ao ter um gol corretamente anulado, depois que os jogadores tinham comemorado o lance, em jogo contra Camarões (2-0 para o Chile), mostrou receios em relação ao novo sistema.

"Este sistema tira a essência do futebol. Daqui a pouco você não poderá comemorar um gol tranquilamente até que vejam o replay", criticou.

* AFP

 DC Recomenda
 
 Comente essa história