"Dá vontade de desistir, desanima profundamente", diz Guga sobre prisão de Nuzman Diorgenes Pandini/Diário Catarinense

Ex-tenista participou da abertura da Semana Guga Kuerten, em Florianópolis

Foto: Diorgenes Pandini / Diário Catarinense

Maior ídolo do esporte catarinense, o ex-tenista Gustavo Kuerten não se esquivou de comentar a prisão do presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, na manhã desta quinta-feira, no Rio de Janeiro. A suspeita é de que Nuzman e seu braço direito, Leonardo Gryner, tenham intermediado o pagamento de propina para a compra de voto de integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI) na escolha do Rio como sede dos Jogos de 2016.

Para Guga, exemplos como esse "dão vontade de desistir" e "desanimam profundamente" quem vive do esporte e tenta desenvolvê-lo no país. O manezinho lembrou ainda da oportunidade perdida em sediar o maior evento esportivo do planeta.

— É inconsequente tentar transitar nessa esfera dentro daquela jaula de leões. Há um ano, estávamos celebrando a situação, com as Olimpíadas. Estávamos vivendo um momento que poderia ser estupendo, um trampolim avassalador para o esporte, que ainda é extremamente amador. Dentro do meio, se entrar nas profundidades, ele ainda é feito de forma rudimentar. E vendo exemplos como esse dá vontade de desistir, desanima profundamente. Quem está na dúvida segue fora. É difícil respirar fundo e seguir em frente — desabafou o tricampeão de Roland Garros em sua participação no programa Debate Diário, da rádio CBN Diário. 

 Leia mais
Lava-Jato mira Nuzman em investigação sobre compra de votos para Rio se tornar sede da Olimpíada
Comitê Olímpico confirma Jogos de Paris-2024 e Los Angeles-2028 

 Veja também
 
 Comente essa história