Manezinho Matheus Herdy é campeão sul-americano no Ricardo dos Santos Pro Junior Marcus Bruno/Hora de Santa Catarina

Foto: Marcus Bruno / Hora de Santa Catarina

Surfista da Joaquina de 16 anos, Matheus Herdy sobrou no Ricardo Dos Santos Pro Junior neste domingo na Guarda do Embaú, abusou dos aéreos e se sagrou campeão sul-americano na categoria até 18 anos. No feminino, a nativa da Guarda Tainá Hinckel, de 14, também deu deu show nas ondas, mas acabou vice-campeã. Os dois catarinenses vão representar o continente no mundial da Austrália.

Depois de dois dias de tempo fechado e com chuva, a competição encerrou com um belo domingo de sol, céu azul e mar grande. O público lotou as areias da praia e fez barulho pelos competidores locais. Pouca gente, no entanto, teve coragem de entrar na água gelada: só mesmo os surfistas e as crianças.

Amigas de infância na mesma bateria

Logo na primeira bateria do dia, às 8h, as amigas Tainá e a também nativa Rafaela Coelho, de 13 anos, se enfrentaram pelas quartas de final. As duas se criaram juntas nas ondas da Guarda. Apesar da derrota, Rafa não saiu abatida.

— Todas as ondas que eu peguei eu fiz errado, não fiz o que as ondas me proporcionaram. Mas é uma grande experiência pra mim. Estou feliz de ter chegado até as quartas — destacou.

— É sempre bom competir com os amigos, ainda mais vencendo! Está sendo uma experiência incrível poder competir em casa, com a torcida a favor — reforçou Tainá.

Na semifinal, as ondas ficaram menores, mas a surfista soube usar o fator local ao seu favor. Venceu com tranquilidade a carioca Luara Thompson. Já na final, que teve ares dramáticos, a jovem se deu mal. Logo de cara, a peruana Sol Aguirre arrancou três batidas de backside, tirando largos 8.25 pontos. Tainá ficou o restante da bateria buscando a diferença, mas não conseguiu. A melhor nota foi um 4.65. A atleta saiu do mar decepcionada, mas muito aplaudida pela torcida. Quando chegou junto à família, desabou no chão.

— Ela ficou muito nervosa, não deixou fluir. É uma pena. Tinha que ter aproveitado melhor as ondas — ponderou o pai, Luiz Carlos Kxote.

— Venho do Peru, sou a única representante do país e não esperava esse triunfo. Fui sempre respeitando os locais, ela é conhecida mundialmente. Agora estaremos juntos representando a América do Sul na Austrália — declarou a campeã.

Matheus Herdy estava "possuído"

Ao sair do mar sabendo que já era campeão, o surfista da Joaquina Matheus Herdy não conseguia conter a euforia. O atleta foi vice-campeão sul-americano na edição passada. Por isso, foi erguido pelos amigos e ovacionado. No mar, não deu chances para o adversário saquaremense João Chianca. O manezinho sobrou nas manobras, conseguiu dois lindos aéreos com rotação completa, um de backside e outro de front, ambos com queda perfeita. Resultado: 8.67 mais 8.50, somando 17.17 pontos. O locutor destacou que o atleta estava "possuído".

— Foi irado. Os aéreos, o vento estava bem fraco, então dava para dar para os dois lados, direito e esquerdo (...) O Ricardinho esteve presente, antes da esquerda eu só pensava nele, que ele iria me mandar ondas boas. Queria dar um cascudinho nele agora!

Surfistas da elite homenageiam Ricardinho

Antes das finais feminina e masculina, os surfistas Yago Dora, garantido no CT do ano que vem, e Lucas Silveira, campeão Pro Junior de 2016, fizeram uma bateria extra no estilo tag team, mais uma homenagem ao surfista Ricardo Dos Santos, que leva o nome do evento. Entre os atletas dos dois times, estava Leandro "Grilo" Dora, pai do Yago, e o Willian Cardoso, atual quarto colocado no WQS e com "um pé e meio" no mundial do ano que vem.

Depois das provas, os atletas se abraçaram em uma roda e gritaram alto por diversas vezes "Ricardinho, Ricardinho". Foi um momento de muita emoção, com a família do atleta presente.

— Só ele para juntar toda essa galera. Praticamente todo o ano a gente consegue ter essa reunião aqui na Guarda, mas esse ano foi animal!

O mundial acontece em janeiro em Kiama, na Austrália. Além de Matheus e Tainá, representam a América do Sul a campeã feminina Sol Aguirre, o conterrâneo dela Jhonny Guerrero e os brasileiros João Chianca e Samuel Pupo.

Leia mais notícias sobre Esportes

 Veja também
 
 Comente essa história