Anderson Silva é flagrado em mais um caso de doping Anthony Geathers/AFP

Foto: Anthony Geathers / AFP

Mais um brasileiro foi flagrado em um caso de doping no UFC. Depois de Junior Cigano e Rogerio Minotouro, flagrados nos últimos meses, agora Anderson Silva foi notificado pela Usada (Agência Antidoping dos Estados Unidos) a respeito de um possível uso de substância proibida em teste fora de competição, realizado em 26 de outubro. Ele está suspenso por tempo indeterminado e foi retirado da luta contra Kelvin Gastelum, que estava programada para o UFC China,no próximo dia 25 de novembro.

A informação foi divulgada pelo site do UFC, que divulgou um comunicado oficial explicando a situação e a notificação feita pela Usada a respeito do doping de Spider. A substância encontrada no organismo do lutador não foi revelada. 

Confira o comunicado oficial do UFC

"A organização do UFC foi notificada hoje que a Agência Norte-americana Antidopagem (USADA) informou Anderson Silva sobre uma possível violação da Política Antidopagem decorrente de uma amostra coletada fora de período de competição, em 26 de outubro de 2017. Como resultado, Silva foi provisoriamente suspenso pela USADA. Devido à proximidade da luta programada para o UFC Fight Night Xangai, na China, em 25 de novembro de 2017 contra Kelvin Gastelum, Silva foi retirado do card e o UFC está atualmente buscando um substituto.

A USADA, administradora independente da Política Antidopagem do UFC, tratará o gerenciamento de resultados e a adjudicação apropriada deste caso envolvendo Silva. De acordo com a Política Antidopagem do UFC, existe um processo legal completo e justo que é oferecido a todos os atletas antes de serem impostas quaisquer sanções. Informações adicionais serão fornecidas no momento apropriado, de acordo com o avanço do processo."

Esta é a segunda vez que Anderson cai no doping. Ele ficou suspenso por um ano por depois de ser flagrado em antidoping feito após o UFC 183, quando venceu Nick Diaz na decisão dos juízes, em janeiro de 2015. Na época, o brasileiro alegou que ingeriu o doping de forma inocente, contaminado em estimulantes sexuais usados pelo atleta. Como é reincidente, se for a julgamento, Spider pode pegar um gancho de até dois anos.

A organização ainda não se pronunciou a respeito de um possível substituto de Spider para enfrentar Gastelum na China.

 Veja também
 
 Comente essa história