Diante de menor público no H.H., Criciúma empata sem gols com o Náutico CAIO MARCELO/Especial

Lucão luta, mas passa em branco e a igualdade prevalece

Foto: CAIO MARCELO / Especial

Diante do menor público no Heriberto Hülse nesta Série B do Campeonato Brasileiro, o Criciúma empatou sem gols com o Náutico, já rebaixado à terceira divisão do ano que vem. Os  1.465 torcedores assistiram um Tigre de pouca criatividade no primeiro tempo diante da forte marcação do visitante. Na etapa final, os donos da casa tiveram mais chances, mas a bola não entrou. O time catarinense chega ao quarto empate como mandante no torneio, em dezoito partidas como mandante. 

No sábado, o Criciúma faz mais uma partida no Majestoso, a última do ano diante do torcedor. O  Tigre recebe o Ceará às 19h30min, time que ainda na briga pelo acesso. Para a partida, Beto Campos não podeaá contar com o lateral direito Diogo Mateus, que levou o terceiro cartão amarelo e cumpre suspensão. 

Mesmo com o rebaixamento confirmado, quem começou a propor jogo foi o Náutico. Com menos de meio minuto, Raphael Silva fez falta a uma metro da grande área, Aislan cobrou e a bola ficou na barreira. Dois minutos depois, Cal Rodrigues encontrou Aislan na pequena área. O jogador se antecipou à marcação e mandou por cima, para alívio o goleiro Luiz. O Tigre só chegou com perigo aos sete minutos, no cabeceio de João Henrique para a bela defesa da Busatto.

Na cobrança de escanteio, Alex Maranhão mandou com veneno na cabeça de Edson Borges, que subiu sozinho e mandou fora. Com cinco homens no meio, o Timbu tinha mais domínio da partida. Ainda assim, aos 22, Lucão fez a a primeira jogada trabalhada do Tigre. Ele driblou Rafael Ribeiro e acionou Caio Rangel, que bateu prensado. Na última chance dos donos da casa na etapa inicial, Lucão tocou para Alex Maranhão, que girou dentro da área e chutou à esquerda  do gol. 

O Criciúma retomou do intervalo com posse de bola e iniciou alguns minutos de pressão. Até os 10, o Tigre tentou com Lucão, que pouco pôde fazer com três na marcação, nas cobranças de escanteio e em um chute de Douglas Moreira, que subiu demais. O Náutico também tentou, mas sem sucesso. No cruzamento pela esquerda, a redonda bateu na mão de Raphael Silva, e a arbitragem assinalou a falta. Ávila cobrou mas ela passou por todo mundo.

Em busca do gol, o Tigre chegou com João Henrique, que enfrentou a marcação e limpou a jogada. No cruzamento, Caio Rangel era quem estava na área, que mandou de cabeça sem perigo. O grande "quase" da partida foi do Timbu. Aos 23 da etapa complementar, Jobson mandou falta no travessão Alex Marnhão tentou com uma bomba pela esquerda, mas Busatto ficou com ela. Como desenhado desde o início da partida, o placar terminou sem gols

Ficha técnica

CRICIÚMA - X
Luiz; Diogo Mateus, Raphael Silva, Edson Borges e Diego Giaretta; Barreto (Ricardinho), Douglas Moreira, João Henrique e Alex Maranhão (Kalil); Caio Rangel (Andrew) e Lucão. Técnico: Beto Campos. 
NÁUTICO - X
Busatto; Rafael Ribeiro, Leo Carioca e Aislan; Leilson (Amaral), Renan Paulino, Jobson, Cal Rodrigues (Luiz Henrique) e Ávila;  Dico (Iago Silva) e Gerônimo. Técnico: Roberto Fernandes.  

CARTÕES AMARELOS:  Diogo Mateus e Raphael Silva (C). Jobson e Renan Paulino (N)
ARBITRAGEM: Alinor Silva da Paixao, auxiliado por Fabio Rodrigo Rubinho e Marcelo Grando (trio do MT).
BORDERÔ:  1.465 torcedores, para uma R$ 23.210,00
LOCAL: Heriberto Hulse, em Criciúma.

Leia outras notícias sobre o Criciúma
Acesse a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro 

 Veja também
 
 Comente essa história