Criciúma perde de virada para o Coritiba e segue sem pontuar GERALDO BUBNIAK/AGB/ESTADÃO CONTEÚDO

Foto: GERALDO BUBNIAK / AGB/ESTADÃO CONTEÚDO

Parede chamada Wilson que evitou que o Criciúma, enfim, somasse os primeiros pontos na Série B do Campeonato Brasileiro. A equipe tricolor até saiu na frente, mas tomou a virada e terminou a partida desta sexta-feira pressionando o Coritiba. Porém, o goleiro da equipe da casa mostrou repertório assegurar o 2 a 1 para os mandantes do Couto Pereira e deixar o Tigre zerado na competição.

Sem tempo para lamentar, o Criciúma volta a campo já na terça-feira. Às 16h, a equipe recebe o CSA no Heriberto Hülse. O Coxa joga na sexta-feira, às 21h30min, contra o Oeste, na Arena Barueri.

O jogo

Necessidade urgente de vitória do Criciúma, estreia do técnico Eduardo Baptista do Coritiba. Fatores que encheram o time de disposição e fizeram da partida truncada de início. Porém, o 4-1-4-1 montado pelo técnico Argel Fucks, com jogadores quatro atacantes, fez efeito imediato. Com apenas 17 minutos, o placar foi aberto pelo Tigre. Em troca de papéis, Lucas Coelho, com função de centroavante, caiu pelo lado direito e mandou pro meio. Encontrou João Paulo, que poderia estar no setor, dentro da área e com espaço. Ele dominou, livre, e botou na rede. O Tigre quase aumentou três minutos depois. O arremate de Elvis foi travado pela defesa e sobrou para Nicolas, que emendou e assustou a torcida da casa.

O Carvoeiro tinha domínio, mas o perdia aos poucos. Aos 32, o placar foi igualada. O Coxa pressionava quando o escanteio afastado pela defesa tricolor foi parar nos pés de Kady. Na frente da área, ele soltou a bomba inapelável para Luiz. A partida voltou a ser equilibrada e centralizada pelo miolo do gramado. Assim foi até o término da etapa, que terminou no 1 a 1 parcial. O Tigre voltou do intervalo com Jean Mangabeira na vaga de Andrew e a proposta de tentar mais pelo meio.

Foi por ali que João Paulo mandou um balaço que Wilson defendeu e Nicolas quase acertou a rede, de cabeça, no rebote. O atacante do Criciúma travava um duelo particular com o goleiro da equipe mandante. Aos 14, por exemplo, ele tentou por cobertura e Wilson se esticou todo para evitar o tento da igualdade. É que no minuto anterior, o meia Yan Sasse havia entrado em campo e passados 49 segundos penetrou pelo lado esquerdo e o chute cruzado encontrou a rede do Criciúma.

Atrás no placar, o Tigre se adiantou e arriscava contra o gol. Porém, quando vencia a marcação parava nas defesas de Wilson, a esta altura destaque da partida. A última cartada do Carvoeiro foi a troca do homem de área. Aos 34, Lucas Coelho deu lugar a Mailson.  Porém, apesar da insistência tricolor, o placar não mexeu mais. 

FICHA TÉCNICA

CORITIBA
Wilson; Vinícius Kiss, Thalisson Kelven, Alex Alves e Abner (João Paulo); Vitor Carvalho, Júlio Rusch (Yan Sasse) e Jean Carlos; Kady (Guilherme Parede), Bruno Moraes e Chiquinho. Técnico: Eduardo Baptista.

CRICIÚMA
Luiz; Sueliton (Natan), Sandro, Nino e Marlon; Liel; Nicolas, Elvis, João Paulo e Andrew (Jean Mangabeira); Lucas Coelho (Mailson). Técnico: Argel Fucks.

GOLS: Kady, aos 32 do primeiro tempo, e Yan Sasse, aos 13 do segundo tempo (Cor). João Paulo, aos 17 do primeiro tempo (Cri).
CARTÕES AMARELOS: Bruno Moraes, Júlio Rush, Kady e Vitor Carvalho (Cor). Elvis, Jean Mangabeira, Liel, Marlon, Nicolas, Sandro e Sueliton (Cri).

ARBITRAGEM: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao, auxiliado por Fabricio Vilarinho da Silva e Hugo Savio Xavier Correa (trio de GO).
BORDERÔ: 9.261 torcedores, para uma renda de R$ 141.960,00.
LOCAL: Couto Pereira, em Curitiba.

Confira a tabela da Série B do Brasileiro 2018
Leia mais notícias sobre a
Série B do Brasileiro 2018

 Veja também
 
 Comente essa história