Consolo ou afirmação? Belgas e ingleses disputam um inédito terceiro lugar da Copa do Mundo Adrian DENNIS/ Martin BERNETTI/AFP

Ambas seleções jogaram na fase de grupos: vitória da Bélgica de Hazard (E) por 1 a 0

Foto: Adrian DENNIS/ Martin BERNETTI / AFP

A disputa de terceiro lugar na Copa do Mundo, que este ano será entre Inglaterra e Bélgica, é vista por muitos como sendo um jogo sem graça, desnecessário e um "prêmio de consolação". Somente em 1930, quando ocorreu o primeiro torneio, e em 1950, o jogo que antecede a grande final do mundial não foi realizado. De lá pra cá, ocorreram  19 partidas sendo que a Alemanha foi a que em mais vezes ficou com a medalha de bronze, quatro no total. 

Na Copa de 2014, por exemplo, a disputa pela terceira colocação foi entre Brasil e Holanda. O jogo foi realizado em Brasília e contou com uma atmosfera péssima, pois a Seleção chegou totalmente desmotivada após sofrer a maior goleada em Copas da história: 7 a 1 para Alemanha na semifinal. 

O então treinador da Holanda, Louis van Gaal, disse,  em entrevista coletiva logo após a derrota na semifinal contra a Argentina, que a disputa pelo terceiro lugar deveria acabar, pois, segundo ele, uma nova derrota na decisão do terceiro lugar atrapalharia a avaliação de um time que conseguiu ficar entre os quatro melhores em uma competição com 32 participantes.

548742497Netherlands Assistant coach Marco Van Basten looks on during the UEFA Euro 2016 qualifying round football match between Netherlands and Iceland at the Arena Stadium, on September 3, 2015 in Amsterdam. AFP PHOTO / JOHN THYS JOHN THYS / AFPEditoria: SPOLocal: AmsterdamIndexador: JOHN THYSSecao: soccerFonte: AFPFotógrafo: STR
Louis van Gaal, que treinou a seleção holandesa terceira colocada em 2014, afirmou que disputa não deveria ocorrerFoto: JOHN THYS / AFP

- Acho que esse jogo nunca deveria ser jogado. Digo isso há 10 anos. O pior de tudo é que você tem a possibilidade de perder duas vezes seguidas. Num torneio em que você jogou tão bem, acaba voltando para casa como um perdedor. Em qualquer torneio de futebol, principalmente nas etapas finais, não se deveria ter de passar por isso. Não deveria jogar pelo terceiro e quarto lugares. Só há um prêmio, que é a taça - disse o treinador na época.

Outro que também acredita que a disputa pelo bronze é um jogo desnecessário é Luiz Felipe Scolari. Em 2006, Portugal, então treinada por Felipão, perdeu para a Alemanha na disputa, mas conquistou seu melhor resultado em Copas até aqui: o quarto lugar. Mesmo assim, o técnico criticou a partida:

- Se você está do nosso lado da cerca, esse jogo representa sofrimento, e não um jogo que você está feliz em disputar. Depois de perder a semifinal, é muito difícil motivar os jogadores para isso. É difícil impedir nossos jogadores e nós mesmos de pensarmos no que perdemos. Você pensa no que perdeu e não no que pode conquistar - afirmou. 

Mas na história, há quem defenda a disputa pela terceira colocação em Copa do Mundo. O ex-jogador e técnico Emerson Leão é um deles. O ex-goleiro participou de dois jogos valendo o bronze na história dos mundiais. Perdeu uma (1974) e ganhou outra (1978).

- Eu me senti honrado por ter disputado mais uma partida por meu país em cada Copa. Perdemos da Polônia em uma e vencemos a Itália na outra, quando saímos da Argentina sem perder. Se você tem definido o regulamento, tem de ir até o final e representar seu povo da melhor maneira possível - afirmou Leão em 2014, durante entrevista à Gazeta Press.

Diferente de 2014, este ano a disputa pelo terceiro lugar promete levar a campo duas equipes motivadas. A Bélgica, que comemora até hoje a geração de 1986 que ficou em quarto lugar naquela Copa do Mundo, quer melhorar a marca e coroar a chamada "ótima geração belga". 

Para o meia Youri Tielemans, conquistar o terceiro lugar é uma questão de "honra" e um "objetivo interno do grupo":

– Nós estamos decepcionados (pela derrota para França na semifinal) e isso é normal, porque queríamos ir até o fim. Mas temos o último objetivo, que é sair com a cabeça em pé e ganhar o último jogo. É importante para a nossa honra, por nós, mas também para a Bélgica – afirmou o jogador em entrevista coletiva.

Englands coach Gareth Southgate (C) comforts Englands midfielder Ruben Loftus-Cheek (R) at the end of the Russia 2018 World Cup semi-final football match between Croatia and England at the Luzhniki Stadium in Moscow on July 11, 2018. / AFP PHOTO / Kirill KUDRYAVTSEV / RESTRICTED TO EDITORIAL USE - NO MOBILE PUSH ALERTS/DOWNLOADS
Southgate espera mostrar a qualidade do time inglês e vencer a Bélgica, considerada um dos principais time da atualidadeFoto: Kirill Kudryavtsev / AFP

A Inglaterra, por sua vez, disputou o bronze uma única vez em 1990, na Itália. Os inventores de futebol foram derrotados pelos donos da casa e ficaram em quarto luga. O resultado foi o segundo melhor da história da seleção inglesa que já foi campeã do mundo em 1966. 

O técnico inglês Gareth Southgate entende que a disputa contra a Bélgica é uma oportunidade para mostrar a força do elenco inglês.

- A Bélgica fez uma brilhante Copa do Mundo e vai querer terminar por cima, assim como nós. Eles tem excelentes jogadores no elenco e será um grande teste. Ainda não derrotamos nenhuma das chamadas seleções de alto nível, portanto precisamos aproveitar cada oportunidade que temos para isso - afirmou o treinador. 

Bélgica e Inglaterra entram em campo às 11h (horário de Brasília) em São Petersburgo. 

Leia também:

Representante do Real Madrid vai a Santos para negociar com pai de Neymar

Atlético de Madrid é o time com mais jogadores titulares na final da Copa do Mundo

Tenista leva bolada e imita Neymar em Wimbledon

 Veja também
 
 Comente essa história